100 anos do Santa Cruz Futebol Clube

100 anos do Santa Cruz Futebol Clube

Por fim, Sr. Presidente, como torcedora feliz que sou, gostaria de dar como lida a minha saudação ao centenário do glorioso, do mais querido, Santa Cruz Futebol Clube, o tricolor pernambucano que saiu do pátio da Igreja de Santa Cruz para liderar a audiência na TV pública brasileira e assim conquistar o coração de milhões de brasileiros.

Viva o Santa Cruz.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELA ORADORA

Sr. Presidente, neste início de ano legislativo gostaria de fazer uma saudação aos nobres colegas, desejar que tenhamos um ano produtivo e possamos avançar no debate e aprovação de temas preciosos ao povo brasileiro. 

Gostaria, também, de saudar os novos ministros do Governo Dilma: Aloizio Mercadante que assumiu a Casa Civil, JoséHenrique Paim, ministro da Educação; Arthur Chioro, ministro da Saúde e Thomas Traumann que assumiu a Secretaria de Comunicação Social. Dizer que esperamos que o trabalho possa ser profícuo e que possamos, Parlamento e Executivo, trabalhar juntos para que o desenvolvimento continue chegando a todos os recantos desse nosso Brasil.

Por fim, senhor presidente, como torcedora feliz que sou, gostaria de dar como lida a minha saudação ao centenário do glorioso, do mais querido, Santa Cruz Futebol Clube, o tricolor pernambucano que saiu do pátio da Igreja de Santa Cruz para liderar a audiência na TV pública brasileira e assim conquistar o coração de milhões de brasileiros.

Muito obrigada.

SANTA CRUZ – 100 ANOS DO TRICOLOR PERNAMBUCANO

Neste dia 03 de fevereiro de 2014 Pernambuco comemorou com grande festa o centenário do Santa Cruz Futebol Clube. O surgimento do clube é narrado com propriedade por João de Andrade Neto, em matéria sobre o centenário:

“O Santa Cruz já nasceu quebrando paradigmas. Revolucionário. Fruto de peladas disputadas por um grupo de estudantes de classe média – em uma época onde o futebol era esporte de elite, praticado por ingleses e brasileiros que voltaram da Europa. Entre esses garotos, com idades 14 a 16 anos, estavam Alexandre de Carvalho e o negro Teófilo Batista, o Lacraia. Jovens que ajudam a explicar como onze se multiplicaram em milhões ao longo de 100 anos.

O primeiro impediu que o clube recém-fundado acabasse antes mesmo de completar um ano de existência ao não permitirque os seus companheiros gastassem os únicos seis mil réis em caixa para comprar uma máquina elétrica de caldo de cana. O segundo ajudou a popularizar aquele que passaria a ser conhecido como o time do povo, além de ter sido o primeiro ídolo e de ter criado o escudo coral”.

Em 2013, o campeão da Série C do Campeonato Brasileiro, garantiu média de público de 26.578 em 13 jogos, superando a média de times com grandes torcidas como Flamengo (RJ) e Corinthians (SP). O jogo de seu acesso à série B, contra o Betim, de Minas Gerais, foi transmitido pela TV Universitária, emissora pública do estado, afiliada à TV Brasil, e os números foram bastante altos: o canal marcou 12 pontos de média com 19 de pico e 18% de participação, atingindo a liderança isolada, vencendo a TV Jornal/SBT, que ficou com 7, a TV Clube/Record, que teve 6, e atémesmo a Globo Nordeste, que marcou 9 pontos com a Série A no horário. A transmissão fez a TV Brasil atingir o seu número mais alto de Ibope desde que foi fundada, em 2008.

O Santa, como é chamado, ostenta entre as suas principais conquistas, 27 títulos estaduais de futebol (dentre os 27 títulos possui 3 Super-Campeonatos, sendo o único Tri-Super Campeão pernambucano), 1 Taça Norte-Nordeste e também o prêmio de Fita Azul do Brasil em 1980, já tendo sido semifinalista do Campeonato Brasileiro na década de 1970, sua fase áurea.

Possui rivais históricos, como o Sport Club do Recife, com o qual protagoniza o Clássico das Multidões; o Clube Náutico Capibaribe, com quem disputa o Clássico das Emoções; e o América, contra quem joga o Clássico da Amizade.

Essa história, senhor presidente, há cem anos emociona e motiva o torcedor pernambucano e merece nossa reverência e nossa homenagem. Viva o Santa Cruz!