122 anos do nascimento de Cristiano Cordeiro, a “lenda do Nordeste”

122 anos do nascimento de Cristiano Cordeiro, a “lenda do Nordeste”

Há 122 anos, nascia Cristiano Cordeiro, em Limoeiro, Pernambuco. Com grande reconhecimento político e intelectual, era chamado pela escritora Rachel de Queiroz de a “lenda do Nordeste”.

Cristiano participou desde muito cedo de movimentos operários. Torna-se bacharel em Direito, em 1917. Em 1922, funda com amigos, entre eles Astrojildo Pereira, o Partido Comunista Brasileiro (PCB). Foi candidato a Assembleia Nacional Constituinte, de 1930, convocadas pelo governo provisório formado após a Revolução de 1930, concorrendo pela da legenda União Operária e Camponesa, já que o Tribunal Eleitoral vetara o registro do Partido Comunista.

Foi o candidato mais votado em Pernambuco, mas teve sua posse impedida por manobras de Agamenon Magalhães, então deputado Federal e que posteriormente viria a ser governador de Pernambuco. Em entrevista dada ao jornalista Ricardo Noblat, falou sobre o ocorrido: “[…] Agamenon Magalhães que já tinha ascendência sobre o mecanismo eleitoral, anulou duas urnas e deixei de atingir o coeficiente por uma diferença de poucos votos.”

“Cristiano Cordeiro é dessas figuras políticas com muita personalidade. Mesmo tendo uma vida quase toda voltada às causas sociais e operárias, se mantinha firme diante de suas convicções. Como quando se manteve contra a Intentona Comunista, que chamou de quartelada. O que não o livrou de ser preso e ainda lhe garantiria, em 1947, a sua expulsão do partido que ele próprio fundou. Sem dúvidas uma figura ímpar, de força política tão necessária nos dias de hoje”, lembrou Luciana Santos.

Em 1961 foi contratado para ser redator e tradutor da Sudene, ocupando o cargo até os seus 80 anos. Morre em 1987, aos 92, no Recife.