Luciana: A reação ao que a direita está fazendo é o povo ir às ruas

Luciana: A reação ao que a direita está fazendo é o povo ir às ruas

“A reação a isso tudo que a direita está fazendo com o ‪Brasil‬, é o povo ir pra rua!”, disse Luciana Santos em encontro com agentes culturais

luciana casbah editada menor


Para além de pensar dentro de caixinhas, política e cultura com “P” e “C” maiúsculos devem sim se integrar. Não apenas na construção de Políticas Públicas para a Cultura, mas como articulação social, em defesa de projetos governamentais, nos momentos de crise. Foi esse o discurso que permeou o bate-papo promovido pela deputada federal Luciana Santos no início da noite desta sexta-feira (07/08), no Casbah, em Olinda. O convite foi feito para fazedores de cultura e militantes culturais de Pernambuco com o objetivo de debater o atual momento político e provocar o setor para o desafio de mobilizar forças para a manifestação nacional em defesa da democracia, marcada para o próximo dia 20 de agosto.

“O que eles (direita) estão querendo fazer não é combater a corrupção, por que se fosse isso começaríamos investigando e culpando o mercado financeiro. A estratégia deles é entreguista…”, disse Luciana Santos na abertura do encontro. Aproximadamente 70 pessoas estiveram presentes no debate que contou com vários representantes da cultura pernambucana. O representante do conselho da Rede dos Pontos de Cultura de Pernambuco – REDE.PE, José Lourenço da Silva, comentou a importância dessa provocação para que os militantes da cultura estejam atentos ao debate político, para ele, “os agentes culturais e os Pontos de Cultura precisam se envolver nessa conjuntura para fazer a sua defesa. Precisamos defender um projeto que está dando certo, e que nós, “Ponteiros”, somos participantes”, disse ele.

Foram várias intervenções durante toda a conversa. Gestores públicos da Cultura também estiveram presentes, como o assessor da Regional Nordeste do Ministério da Cultura (RRNE/MinC), Jorge Garcia, que comentou a importância da deputada Luciana Santos provocar o debate com o setor: “é importante a gente ter uma deputada que faça esse tipo de alinhavamento. Que possa trazer uma informação precisa de onde ela vem (Brasília), não só para o seu eleitorado local, mas toda a sociedade. Por que com essa profusão de informações que existe hoje, fica difícil distinguir o que é falso e tendencioso, e quem não se interessa por esse tipo de debate com opiniões abalizadas e isentas, acaba sendo conduzido à determinadas posições que estão muitas vezes distorcidas e equivocadas…”, finalizou ele.

“Os fazedores de cultura sentem na pele esse momento de intolerância e ódio por que entre suas mais importantes matérias-primas estão a diversidade e a sua identidade . Por isso a importância desse debate de hoje, para que possamos nos unir contra qualquer tipo de golpe à democracia e ao projeto de governo que incluiu socialmente milhões de pessoas em 12 anos…”, enfatizou a deputada.

De Olinda;
João Paulo Seixas