Acervo de Janete Costa disponível em site

Acervo de Janete Costa disponível em site
janete costa 653

janete costa 653A pernambucana contribuiu para valorização da cultura popular na arquitetura. Portal reúne plantas, fotos, vídeos, maquetes e outros trabalhos da decoradora.

Em seu trabalho como arquiteta, designer e decoradora, a pernambucana Janete Costa (1932-2008) contribuiu para que o artesanato e outras manifestações da cultura popular fossem vistos a partir de uma ótica que evidenciava seu valor artístico e humano. Com os esforços da garanhuense, a arquitetura moderna do País redimensionaria para o mundo a importância dos leões de Nuca de Tracunhaém, as carrancas de Ana das Carrancas, as figuras vibrantes de Mestre Galdino e os bustos femininos de Izabel Mendes da Cunha, entre outros símbolos culturais do Estado.

Tão diverso quanto amplo, o legado da pernambucana estará disponível para consulta a partir de hoje, através do site Janete Costa. O portal será lançado nesta terça (3), às 20h, na galeria que leva o nome da arquiteta, no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem. No evento, os arquitetos Fernando Diniz, Andrea Gati e Gisele Carvalho, responsáveis pelo projeto, conversam com o público sobre o processo de criação do site. O endereço virtual foi divulgado durante o lançamento. (www.janetecosta.arq.br)

O site reúne um acervo composto por plantas de construções, fotos, revistas, slides, documentos, maquetes, vídeos e material gráfico das exposições montadas pela arquiteta. Esse material foi catalogado e organizado pelo Inventário Janete Costa, que contou com o apoio do Funcultura. De acordo com o coordenador do projeto, Fernando Diniz, o site é resultado de um ano de organização do acervo que Janete deixou em seus escritórios no Recife, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

“O projeto foi executado por uma equipe multidisciplinar, com profissionais de arquitetura, biblioteconomia, webdesign e museologia. Um dos maiores prazeres que tive foi atestar, com os documentos e desenhos deixados por Janete, que seus projetos eram muito mais amplos do que apareciam em sua forma final, que era apresentada a seus clientes. O acervo reúne muitos projetos com rascunhos da autora, que deixam à vista os bastidores de um processo criativo muito particular”, afirmou Fernando.

Andrea Gati, que recentemente problematizou a obra de Janete em uma dissertação de mestrado na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), ressaltou que o acervo catalogado estava encaixotado desde o falecimento da arquiteta, em 2008. “Organizamos e classificamos esse material de acordo com os cinco principais eixos de atuação dela: arquitetura de interiores, restauro de patrimônios históricos, exposições, design e arte popular/artesanato”, explicou.

O site vai agregar informações gerais sobre a arquiteta, como uma linha do tempo de sua obra, trabalhos mais importantes e imagens raras. Haverá também um espaço de consulta onde será possível pesquisar, de forma mais abrangente, trabalhos específicos. O acervo não foi digitalizado por completo, mas todo o seu conteúdo está catalogado. Assim, se o pesquisador não encontrar a imagem do material que procura, terá acesso à nomenclatura que informa sua localização física, já que o acervo original está disponível para consulta para numa sala especial da Galeria Amparo 60, em Boa Viagem.

Para Andrea, o projeto preenche parte do vácuo bibliográfico que existe em torno da produção de Janete. “Acredito que estamos abrindo precedentes para as futuras pesquisas sobre o seu legado. Senti isso quando empreendi a primeira pesquisa de mestrado sobre sua obra, ligada a outro tema pioneiro na pós-graduação da UFPE, que é a arquitetura de interiores”, defendeu.

Em relação a isso, Fernando Diniz lembra que Janete foi fundamental para estruturar o campo da arquitetura de interiores no Brasil, conectando influências estrangeiras a brasileiras, com foco nas referências culturais nordestinas. “A partir dos anos 1970, ela reintegrou os elementos da cultura popular às moradas da classe média e das elites. Ao longo de sua carreira, ela desenvolveu um trabalho muito importante com os artistas de cultura popular, acompanhando-os de perto e sugerindo formas de tornar suas atividades mais rentáveis. Acredito que ela deu um outro status a essa arte”, concluiu o arquiteto.

BIOGRAFIA – Nascida em Garanhuns, em 1932, Janete Costa formou-se arquiteta pela Faculdade Nacional de Arquitetura, no Rio de Janeiro, além de estudar Planejamento de Interiores no Instituto Joaquim Nabuco, no Recife.

LEGADO – A decoradora foi responsável por centenas de projetos de arquitetura de interiores e ambientação de residências, prédios públicos, escritórios de empresas e hotéis, executando obras em todo o Brasil e no exterior.

 

Por Renato Contente,
na Folha de Pernambuco