Artesanato: Regulamentação da profissão foi tema de debate na FENEARTE, em Pernambuco

Artesanato: Regulamentação da profissão foi tema de debate na FENEARTE, em Pernambuco

Audiência do Artesão - jul 2015 - Laís Domingues

Na manhã da última sexta-feira (10/07) a maior feira de artesanato do Brasil, a FENEARTE, também debateu a regulamentação de uma das primeiras profissões da história. A Sala Petrolina do Centro de Convenções de Pernambuco estava cheia para o ato do lançamento regional da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Artesão, que contou com a presença do presidente da Frente, deputado Givaldo Vieira (PT/ES) e da deputada Luciana Santos (PCdoB/PE), que é vice-presidente regional do grupo.

Mais de 200 pessoas acompanharam o lançamento, que, pela grande quantidade de representantes de movimentos, sindicatos e associações do setor presentes – inclusive de outras regiões do País, acabou com um intenso debate sobre as lutas para regulamentação da profissão.

Na mesa, além da deputada Luciana Santos e do deputado Givaldo Vieira (PT/ES), contribuíram também a deputada federal Simone Morgado (PMDB/PA), o chefe da Representação Regional Nordeste do Ministério da Cultura José Gilson Matias, a presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) Márcia Souto, o superintendente do Sebrae/PE Osvaldo Ramos, e a presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Artesanato Isabel Gonçalves.

“A luta da gente é para garantir os marcos legais que fortaleçam economicamente o Artesanato. São milhões de trabalhadores envolvidos nesse setor que movimenta mais de 50 bilhões de reais por ano, e ainda sim a profissão de artesão é muito empobrecida. Por isso nós queremos agregar mais valor ao Artesanato, encontrar mais mercados, e fazer com que o poder público tenha políticas que fomentem essa Economia da Cultura…”, disse a deputada que promoveu o encontro Luciana Santos. Para o deputado Givaldo Vieira, o encontro “foi um momento para fortalecer esse diálogo e assim poder levar ao congresso as demandas e os anseios dos artesãos de todo o Brasil”.

Do Recife;
João Paulo Seixas