Artesãos discutem regulamentação da profissão

Artesãos discutem regulamentação da profissão
thumbnail_1373572692.jpg

thumbnail_1373572692.jpg

O debate foi promovido pela Comissão de Cultura da Câmara atendendo a uma solicitação da deputada Luciana

resize_1373572692.jpg

A regulamentação da profissão de artesão foi tema de debate em Recife, nesta terça-feira (9), que contou com a participação de artesãos de todo país. O evento, que fez parte da programação da XIV Feira Nacional dos Negócios do Artesanato (Fenearte), foi realizado pela  Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados em atenção a uma solicitação da deputada Luciana Santos, relatora do conjunto de projetos de lei que trata da profissãos e das atividades ligadas ao artesanato.

Cerca de 200 artesãos de todo país compareceram ao Teatro do Brum, no Centro de Convenções, para contribuir com a construção do Estatuto do Artesão. A deputada Luciana Santos abriu o debate enfatizando a importância da participação ativa dos profissionais. “É de extrema importância trazer esse debate para os profissionais do artesanato para que o projeto final possa refletir os anseios e as necessidades da cadeia produtiva do Artesanato e não haveria melhor oportunidade que a Fenearte, pela concentração e diversidade de profissionais da área”, disse.

""

Os pontos para o debate contemplavam alguns itens do projeto de lei 7755/2010 e tratou desde a definição da profissão do artesão até a expansão e fomento da atividade econômica no artesanato. Hoje a atividade artesanal representa cerca de 3% do Produto Interno Bruto Nacional. “Por ser uma profissão ainda informal, é bem provável que esse número seja ainda maior. Daí vem a necessidade de regulamentação da profissão e garantir todos os direitos aos trabalhadores”, lembrou a deputada.

Participaram do debate o secretário de Economia Criativa do Ministério da Cultura, Geraldo Horta, a secretária de micro e pequenas empresas do Governo Federal, Cícera Rolim, a  coordenadora da Fenearte, Patrícia Lessa, do presidente da Fundação de Cultura do Recife, Roberto Lessa, da vice-presidente da Confederação Nacional de Artesão, Isabel Gonçalves.

""

A necessidade da regulamentação da profissão do artesão e a criação de políticas públicas que valorizem os profissionais foi ponto comum para todos os debatedores. “Uma das nossas maiores urgências é a criação de uma linha de fomento para incentivar a atividade econômica”, afirmou Isabel Gonçalves.

De acordo com a deputada Luciana a previsão para que o estatuto seja votado na Câmara Federal é até o final de novembro.

Conheça os projetos aqui

Do Recife, 
Desirée Machado