Lei Maria da Penha completa 11 anos

Lei Maria da Penha completa 11 anos

Nesta segunda-feira (7) se comemora 11 anos de aprovação da Lei Maria da Penha. O projeto, relatado pela deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), contou com o empenho e articulação de toda a bancada feminina na Câmara dos Deputados e em pouco mais de uma década ajudou a salvar a vida de mais de 300 mil mulheres.

“É preciso levar em conta que essa a luta pelo fim da violência contra a mulher é também de caráter cultural, daí sua complexidade. Precisamos elevar o nível de consciência da opressão e isso só pode se dar desenvolvendo e ampliando o debate de ideias. A Lei Maria da Penha é fruto de muito debate, de muito convencimento e de muita luta das mulheres. É, portante, uma vitória, uma conquista de todas as brasileiras. O empoderamento feminino é um ótimo caminho para estancar a cultura do machismo e precisamos de ferramentas e instrumentos para fazer valer cada um dos nossos direitos”, avaliou a deputada Luciana Santos (PCdoB/PE).

WhatsApp Image 2017-08-07 at 13.36.19

Campanha

Para pontuar os 11 anos da Lei e trazer informação para todo o Brasil, o 5º país mais violento para as mulheres, o Instituto Maria da Penha criou o Relógios da Violência, que mostra quantas mulheres sofrem os 5 tipos de violência por segundo. Os dados são alarmantes e precisam ser pulverizados para que homens e mulheres se conscientizem do cenário violento que vivemos.

Para isso foi lançada uma campanha que pede ajuda dos internautas para visitar o site e divulgar nas redes sociais.  A partir das 0h de hoje, o site www.relogiosdaviolencia.com.br entra no ar contabilizando as horas por números de mulheres vítimas de violência.

Participar da campanha é simples: Entre no site, escolha um relógio e compartilhe com a hashtag #TáNaHoraDeParar, dessa forma podemos ver todas as pessoas que postaram.

“Alcançar a igualdade de gênero – o 5º dos 17 Objetivos Globais da ONU pra transformar o mundo – ainda é um desafio devido às barreiras culturais, políticas e históricas que perpetuam os valores do comportamento machista no Brasil e no mundo. A informação é uma grande aliada das mulheres quando o assunto é violência doméstica e familiar: é preciso conhecer as diversas formas de agressão e promover o acesso à Lei Maria da Penha em larga escala”, diz Maria da Penha, no texto de divulgação da campanha.

De Brasília;

Ana Cristina Santos