Blogueiros debatem comunicação e mídia no Brasil

Blogueiros debatem comunicação e mídia no Brasil
BlogPE

BlogPEO 4º encontro de blogueiros e ativistas digitais (#4BlogProg) promovido pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé reúne aproximadamente 500 pessoas de todas as regiões do país e convidados dos Estados Unidos, Espanha, Cuba e Venezuela. 

encontro nacional de blogueiros61046MarianaSerafiniTeve início nesta sexta-feira (16), em São Paulo, o 4º encontro de blogueiros e ativistas digitais. O evento é promovido pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé em parceria com a Altercom e com o Movimento dos Sem Mídia. O objetivo é discutir a comunicação no Brasil, o cenário em que os blogueiros e ativistas estão inseridos e como podem se organizar para garantir a pluralidade das informações e a democratização da comunicação brasileira.

O tema abordado no primeiro debate foi “mídia, poder e contrapoder”. Participaram desta mesa Pascual Serrano, criador do sítio Rebelion (Espanha); Andrés Conteris, Integrante do movimento Democracy Now (Estados Unidos) e Venício Lima, professor de Ciência Política e Comunicação e pesquisador da área, que lançou seu livro “Para garantir o Direito à Comunicação: A lei Argentina, o Relatório Leveson (Inglaterra) e o HLG da União Europeia”.

Censura e vigilância

Conteris ressaltou o papel dos meios de comunicação independentes de instituições ou governos para contar “as histórias que não são contadas pelos grandes meios de comunicação”. Ele lembrou a suspeita sobre o monitoramento exercido pelos Estados Unidos e destacou o papelde Edward Snowden na denúncia mundial desse fato e salientou que cada cidadão deve ter aquele espírito de vigilância e denúncia.

Pascual Serrano enfatizou o papel que a mídia assumiu como poder e sua falta de legitimidade para tal classificação, uma vez que é exercido por um grupo de “donos da mídia” que impõe seu modelo político e ideológico à sociedade. Ele destacou que é preciso diferenciar a liberdade de imprensa e direito à comunicação para que não se legitime um “direito de censura”, que determina quem fala e para quem fala, excluindo do processo de comunicação grande parcela da população.

Venício Lima falou sobre a experiência da Ley de Medios, da Argentina, que entrará em vigor plenamente atéo próximo mês de agosto. A legislação trata sobre o mercado da comunicação e não aborda questões relacionadas a conteúdo. “A lei é anti-monopólio, não trata de conteúdo. É para regulamentar o mercado”, frisou. Desde que o texto foi sancionado, o docente explica que entraram no ar naquele país, 53 novas rádios e três canais de televisão de povos originários.

O professor também falou sobre as experiências da Inglaterra e da União Europeia no campo da regulação para garantir a pluralidade e defendeu que, em nome deste princípio o Estado deveria influir mais no sentido de garantir a pluralidade através da distribuição da publicidade oficial. Questionado sobre a apatia do Parlamento neste debate Lima disse que há exceções e citou o relatório da subcomissão de análise de formas de financiamento para mídia alternativa e a atuação da deputada Luciana Santos, que recentemente apresentou Projetos de Lei para o setor. (Veja aqui)

Luciana também falou sobre os trabalhos da subcomissão e sobre o PL do direito de resposta no encontro de blogueiros, no debate sobre a luta pela democratização da comunicação.

A primeira manhã do encontro foi encerrada com uma palestra do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que falou sobre a relação da grande imprensa com o governo, sobre o governo e suas expectativas para a Copa do Mundo. (Leia aqui).

De São Paulo;
Ana Cristina Santos

Foto: Mariana Serafini/Portal Vermelho