Carnaval 2016: Festa da Cultura Popular incrementa números positivos na economia pernambucana

Carnaval 2016: Festa da Cultura Popular incrementa números positivos na economia pernambucana
Deputada Luciana Santos recebe o carinho do folião em Olinda.

Deputada Luciana Santos recebe o carinho do folião em Olinda.

Que o carnaval de Pernambuco é o mais democrático, multicultural e apaixonante do Brasil, todo mundo já sabe. Em 2016, com ou sem crise econômica, o povo saiu de casa – muitos vieram de muito longe – para se divertir, e a identidade criativa e irreverente do pernambucano marcou mais uma edição da festa de Momo. As marcas do prestígio dessa identidade também são percebidas nos números positivos após os festejos.

Na tarde desta segunda-feira (15/02), o Governo do Estado apresentou em coletiva de imprensa o levantamento da frequência turística e do seu impacto na economia local. Segundo os dados apresentados, o estado de Pernambuco recebeu 1,7 milhão de turistas – 12% a mais do que no ano passado, e o fluxo de visitantes representou um incremento de R$ 1,2 bilhão na economia, valor que supera em 4,3% o último ano.

Para o secretário de Cultura de Pernambuco, Marcelino Granja, a Cultura Popular é a principal atração do carnaval pernambucano. Para ele, “a nossa identidade e a força das tradições dos povos e comunidades tradicionais são os motores do nosso  carnaval. São eles que enchem nosso estado de turistas. A nossa maior riqueza …”, comentou.

Em relação à rede hoteleira, 96,5% dos leitos foram ocupados (em 2015 o percentual foi de 94,5%). O turista brasileiro gastou em média R$ 183 ao dia, enquanto os estrangeiros desembolsaram R$ 195. O levantamento aponta ainda que 310 mil passageiros circularam pelo Aeroporto Internacional do Recife durante o Carnaval, um número 9% maior do que em 2015. Já no Terminal Integrado de Passageiros (TIP), 70 mil pessoas desembarcaram para curtir os dias de Carnaval em Pernambuco.

“Os números destacam a importância da economia criativa na cadeia produtiva e provam que a cultura pernambucana é um importante vetor de desenvolvimento e aquecimento econômico mesmo em tempos difíceis”, avalia a deputada Luciana Santos.

Olinda: Patrimônio, irreverência e tradições preservados

Com uma ocupação hoteleira de 98%, 2,8 milhões de pessoas injetaram R$ 190 milhões no carnaval mais democrático do mundo. A programação da festa em Olinda contou com a participação de mais de 500 atrações distribuídas entre os nove polos de animação espalhados pelos quatro cantos da cidade e programação de rua, segundo balanço apresentado pela Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico do município.

De acordo com o prefeito Renildo Calheiros o carnaval foi tranquilo, sem ocorrências graves, e muito alegre. “O personagem principal foi o folião que mostrou toda a riqueza da cultura pernambucana. O papel da prefeitura é dar a estrutura necessária para que as pessoas venham brincar em paz e segurança e encontre aqui o verdadeiro carnaval de rua”,  exaltou Calheiros.

Confira mais números do carnaval de Olinda: http://carnaval.olinda.pe.gov.br/noticias/olinda-comemora-carnaval-alegre-e-de-paz#more-8325

“Mais uma vez o carnaval de Olinda demonstrou seu caráter popular e democrático. A festa feita pelos olindenses, pelo povo pernambucano, foi marcada pela hospitalidade, pela alegria e pela espontaneidade”, comenta Luciana. Ela destaca as ações da Prefeitura no combate ao trabalho infantil, no cuidado com o patrimônio histórico e nas ações de inclusão e acessibilidade. “É sempre um desafio reunir mais de um milhão de pessoas e não ter registro de ocorrências graves. Terminamos o carnaval 2016 com um saldo positivo na perspectiva econômica, social e cultural. Um grande feito!”

Do Recife;
João Paulo Seixas