Conferência do PCdoB mobiliza aliados e militância no Maranhão

Conferência do PCdoB mobiliza aliados e militância no Maranhão

AtoMaranhão

Cerca de 600 pessoas lotaram o auditório Fernando Falcão da Assembleia Legislativa do Maranhão, na última sexta-feira (8), para o ato de abertura da Conferência estadual do PCdoB, que contou com a presença de representantes de diversos partidos que sustentam o governo Flávio Dino. Pela direção nacional do partido, participaram do ato a vice presidenta do PCdoB, deputada Luciana Santos; Walter Sorrentino, secretário nacional de Organização e Diógenes “Patinhas” do Comitê Central.

O presidente estadual do PCdoB, Márcio Jerry, fez saudação à militância comunista e deu boas vindas às representações dos partidos aliados salientando que “o PCdoB tem grande respeito aos aliados, àqueles que construíram conosco a grande vitória que elegeu o primeiro governador comunista no Brasil”.

A vice-presidente nacional do PCdoB, Luciana Santos, foi calorosamente aplaudida ao sustentar que “o nosso partido está na linha de frente da defesa do governo de Dilma Rousseff, que tem dado continuidade ao grande projeto de superação das desigualdades no Brasil cujo início se deu com a eleição de Lula em 2002”. Segundo ela, uma das principais batalhas do momento é pelo fim do financiamento empresarial das campanhas, visto por ela como a principal causa da corrupção na esfera pública.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr., ressaltou a importância da eleição de um governador que ajude os prefeitos: “Flávio Dino e o PCdoB têm prestígio e credibilidade, e é por isso que a população do Maranhão acredita que o seu governo será plenamente exitoso”, disse Holanda. A mesa do ato contou ainda com as participações dos deputados federais Waldir Maranhão (PP), Eliziane Gama (PPS), Weverton Rocha (PDT) e dos secretários de Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré (PSB), Indústria e Comércio, Simplício Araújo (SD), do Trabalho, Emprego e Economia Solidária e Julião Amin (PDT), representando os seus partidos.

Flávio Dino: “sou comunista, do PCdoB!”

Flávio Dino agradeceu ao PCdoB porque “eu só sou governador do Maranhão hoje porque eu sou comunista e sou do PCdoB”, para em seguida dizer que “foi esse partido que me ensinou, acima de tudo, o caminho para construir a aliança ampla que pudesse nos conduzir à vitória. Sou grato ao PCdoB, ao meu partido. Sou comunista”, disse o governador.

Flávio Dino destacou que ainda que sempre estará ao lado dos trabalhadores exatamente porque compreende a dimensão de seu mandato, e que manterá a atitude permanente de quem governa para todos. “Não abrimos mão do nosso programa e do rumo que nos trouxe até aqui”, afirmou.

No sábado (9), Flávio Dino fez sua prestação de contas ao partido, durante a Conferência, informando as ações e medidas já adotadas. Há pouco mais de quatro meses no exercício do mandato, Dino tem implementado políticas sociais voltadas para a população mais carente do Maranhão.

Debate das Teses

No sábado (9), os delegados das várias regiões do estado ocuparam as dependências do auditório para debater os documentos das Conferências estadual e nacional apresentados pelos camaradas Egberto Magno, vice-presidente estadual do partido, e por Walter Sorrentino, secretário nacional de Organização, respectivamente.

Sob a direção de Etelvino Oliveira, a mesa encaminhou a votação do Regimento Interno. Em seguida, em sua intervenção, Egberto destacou que o Projeto de Resolução da Conferência se divide em dois grandes temas: “Mudanças no Maranhão no contexto do PCdoB na luta por um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento”, e o segundo aborda “A Construção do PCdoB no contexto das mudanças no Maranhão”.

Para ele, um dos grandes desafios do PCdoB e do conjunto de forças progressistas no Maranhão é a construção de uma hegemonia política, cultural e intelectual avançada, “para abrir caminhos para o desenvolvimento no Estado, nos marcos do que prescreve o Programa Socialista do PCdoB para o Brasil, que na presente etapa tem como principal mote a luta pelo desenvolvimento e pela valorização do trabalho e o fortalecimento da soberania nacional. Nesse sentido, a liderança do processo e o apoio popular é que assegurarão a natureza anti-oligárquica, democrática, republicana e de esquerda de nosso governo, para evitar que ocorram retrocessos, impulsionando o Maranhão para uma nova época de desenvolvimento e justiça social”, diz o Projeto de Resolução.

As tarefas

O documento apresentado traça as tarefas centrais no estado para esse novo momento: 1) superar gradativamente o subdesenvolvimento da economia do estado a partir de uma ampla aliança política e econômica que impulsione a produção, fortaleça a infra-estrutura produtiva, atraia investimentos internos e externos e faça avançar a massa salarial e a formalização do trabalho no Estado; 2) superar as amarras e armadilhas herdadas da era patrimonialista (herança maldita); 3) ampliar a massa populacional de consumo de bens duráveis e não duráveis; 4) garantir distribuição de renda e drástica diminuição das desigualdades sociais e regionais; 5) melhorar, sobremaneira, a posição do Maranhão, entre os estados do Nordeste, em relação ao desenvolvimento econômico e social. Do ponto de vista da estruturação partidária o grande desafio, conforme o Projeto de Resolução, é o de fazer do PCdoB no Maranhão um Partido grande, extenso e massivo, que tenha a capacidade política de mobilizar milhares e milhares de maranhenses em torno de um projeto político avançado e que, sob a liderança de quadros políticos e ideológicos capazes, que assegurem o rumo da luta pelo socialismo e garanta os princípios partidários. “Daí a importância e a necessidade de forjarmos quadros dirigentes dotados de compreensão política e ideológica, que possam ser o núcleo condutor da construção partidária no Maranhão nessa nova fase da nossa trajetória, tendo como linha orientadora a ideia de um Partido Comunista de Massas dirigido por Quadros políticos e ideológicos capazes de assegurar o caráter e a essência de seu pensamento: classista, revolucionário, marxista, que almeja e luta pela superação do capitalismo e edificação do socialismo”, diz o texto.

Walter Sorrentino destacou que a 10ª Conferência Nacional do PCdoB a ser realizada nos dias 29 a 31 próximos, em São Paulo, passará em revista os desafios políticos atuais em nosso pais cujo curso político é instável, perigoso e indefinido. “Nesse embate, o PCdoB tem lado, e nosso lado é na defesa do mandato constitucional da presidente Dilma”, disse o dirigente comunista. Ele acentuou ainda que “a direção nacional do partido se orgulha dos comunistas maranhenses, que têm tido a capacidade de conduzir uma frente política ampla e, com certeza, saberão estruturar o partido para que ele esteja à altura dos grandes desafios”.

Os debates continuaram durante todo o dia de sábado com intervenções de delegados partidários dos municípios do estado, tendo dezenas de emendas apresentadas ao documento, as quais foram colocadas em votação e aprovadas pela plenária da Conferência.

Os deputados estaduais comunistas Othelino Neto, Marco Aurélio e Fernando Furtado, além do deputado federal Rubens Pereira Jr (federal), participaram ativamente do evento partidário. Diógenes “Patinhas” fez sua saudação final em nome da direção nacional e Márcio Jerry (foto) encerrou a Conferência, ressaltando o seu caráter democrático e participativo.

De São Luis
Para o Portal Vermelho