Em Carta aberta, Pontos de Cultura convocam movimento para o dia 20

Em Carta aberta, Pontos de Cultura convocam movimento para o dia 20

Pontos de Cultura

Depois de 4 dias de debates, cerca de 70 Pontos de Cultura de todos os estados brasileiros lançam carta com posicionamento da sua Comissão Nacional. Apresentado na plenária final, documento inova ao apresentar articulação política. “Hoje o cultura viva se constitui não só como um movimento cultural, mas também um dos novos movimentos políticos do Brasil”. E convoca “a assumir protagonismo na luta, organizando a sociedade por mais democracia e mais direitos”, mobilizando para o ato dia 20 de agosto.

A Carta de São Jorge aponta o posicionamento dos principais movimentos culturais do país. Segue a íntegra abaixo:

Carta de São Jorge

O Brasil, que pulsa diversidade, está atento a onda conservadora que assola o pais e promove uma crise civilizatória. Setores reacionários atacam nossa juventude por meio da redução da maioridade penal e o genocídio do juventude negra, agridem povos de terreiro, mulheres e a comunidade LGBTT com o crescente fundamentalismo religioso. Indigenas, quilombolas e povos tradicionais sofrem uma ofensiva do grande capital contra seus territórios. Fica claro para nós que as conquistas sociais e econômicas dos últimos anos não são suportadas pelas elites do nosso país, que se unificam no congresso nacional, alimentados pela grande mídia, numa ofensiva, não somente contra a presidenta eleita, mas à democracia, afrontando os prinípios constitucionais brasileiros.

Não aceitamos o imobilismo do governo, que opta por não enfrentar o debate político e recua em pautas estruturantes e urgentes para a Nação. Repudiamos a política de ajuste fiscal que ataca direitos do povo brasileiro e interrompe um ciclo de redução das desigualdades sociais vividos na última década.

Entendemos que a cultura deve estar na centralidade do modelo de desenvolvimento do país. E um governo que tem como lema “Pátria Educadora” deve reconhecer as sabedorias, os conhecimentos e os ensinamentos próprios de seu povo. Deve reconhecer, também, que quem faz cultura, quem produz cultura, não são gestores em gabinetes, mas o povo no seu viver, conviver, sobreviver, existir e resistir.

A Política Cultura Viva (Lei 13.018) é a afirmação de que sem diversidade com base nos direitos humanos, não há cidadania. Ela é essencial para combater o avanço conservador em marcha e construir uma sociedade emancipada. Chamamos a responsabilidade dos governos Federal, estaduais e municipais a assumirem seu compromisso com a política e o cumprimento das metas do plano nacional de Cultura.

Mais do que resistir, convocamos o movimento cultural brasileiro a assumir protagonismo na luta, organizando a sociedade nas redes e nas ruas por mais democracia e mais direitos, unificando esforços de mobilização no ato do dia 20 de agosto.

Comissão Nacional dos Pontos de Cultura, reunida entre os dias 28 de Julho a 1º de Agosto.
Vila São Jorge, Alto Paraíso, Chapada dos Veadeiros – GO.

Fonte: Portal Vermelho