Fenearte exalta a riqueza cultural de Pernambuco

Fenearte exalta a riqueza cultural de Pernambuco

18ª edição da Feira começa no dia 6 de julho, com o tema “A Arte é a Nossa Bandeira”

Do barro à renda, do couro à madeira, em cada matéria-prima a mão habilidosa do povo pernambucano modifica a natureza e a transforma em arte. Ao celebrar a sua 18ª edição, a Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) exalta Pernambuco, um dos mais importantes celeiros criativos do País, com o tema “A Arte é a Nossa Bandeira”. Entre 06 e 16 de julho, o Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, será palco para a demonstração mais genuína das nossas riquezas culturais. Arte, cultura, decoração, gastronomia, moda e música apresentam a diversidade de estilos e tradições de todos os estados brasileiros e 33 países.

Mudanças estruturais dão o tom comemorativo deste ano. Entre as novidades, setorização por tipologias do artesanato nos expositores individuais de Pernambuco, renovação de percurso com corredores mais largos, ampliação das palestras gratuitas, mais atrações expositivas, atividades infantis concentradas no mezanino e a nova localização dos Salões de Arte Popular e Religiosa, além da Galeria de Reciclados. Manoel Eudócio, Patrimônio Vivo de Pernambuco falecido em 2016, é o homenageado. A Fenearte reverencia um dos mais importantes mestres da arte popular brasileira, um cronista do seu tempo, reconhecido por moldar no barro as cenas da vida nordestina. Na tradicional Alameda dos Mestres haverá um espaço diferenciado com exposição e comercialização de obras assinadas pelo último discípulo de Vitalino e pelos seus herdeiros.

A maior feira de artesanato da América Latina receberá mais de 5 mil expositores que ocuparão cerca de 800 espaços, numa área de 30 mil m². Uma oportunidade única para o público, estimado em 300 mil pessoas, conferir a diversidade artística que a pluralidade cultural pode proporcionar. Com investimento de R$ 4,5 milhões e geração de cerca de 2,5 mil vagas de empregos temporários, a expectativa de movimentação financeira é de R$ 40 milhões.

Jan Ribeiro/Fundarpe

Jan Ribeiro/Fundarpe

“Participar da Fenearte, ano após ano, transformou-se numa tradição para todos os pernambucanos. Desde o ano 2000 é um sucesso absoluto e contínuo, em todos os aspectos: cultural, afetivo e econômico. Pela força e riqueza dos nossos artesãs e artesãos, a Fenearte entrou para o calendário nacional e internacional com a maior naturalidade. Tenho imenso orgulho e muita honra em contribuir para que a Fenearte tenha chegado à sua maioridade, sempre inovando e valorizando as nossas manifestações culturais. Para tornar esse ano ainda mais especial, a 18ªFenearte tem outro aspecto único, pois homenageará o Mestre Manuel Eudócio, que nos deixou em 2016. Mestre Eudócio representa tudo que desejamos para a Fenearte: simplicidade, força criativa, originalidade e paixão pelo belo. Vida longa à Fenearte”, destaca o governador de Pernambuco, Paulo Câmara.

APRESENTAÇÕES CULTURAIS
Um palco localizado na Praça de Alimentação terá o melhor de uma programação artística ricamente elaborada pela Fundarpe, focada na valorização da cultura pernambucana e afro brasileira com apresentações de Patrimônios Vivos de Pernambuco e grupos de várias regiões do Estado. Entre as atrações, o Maracatu Leão Coroado, o Bloco de Máscaras Trovadores em Folia, Aurinha do Coco, as Filhas de Baracho, Lia de Itamaracá e o Homem da Meia Noite. Confira a programação:

Quinta-feira, 06/07
15h30 – A Bela da Tarde e Seus Bonecos Gigantes (recepção)
16h – Bloco da Saudade (recepção)
16h – Banda de Pífano Zé do Estado
17h – Mamulengo Riso das Crianças (mezanino infantil)
19h – Mestres do Coco de Pernambuco

Sexta-feira, 07/07
16h – A Cocada
17h – Mestre Zé Lopes (mezanino infantil)
18h – Banda Musical Curica | Patrimônio Vivo
20h – Afoxé Povo de Ogunté

Sábado, 08/07
16h – Cavalo Marinho Boi Pintado
17h – Grupo Lobatinho (mezanino infantil)
18h – Dona Del do Coco
20h – Bloco de Máscaras Trocadores em Folia

Domingo, 09/07
16h – Balé Afro Raízes
17h – Sementes da brincadeira: as presepadas de benedito brincando de babau dos domingos de joão redondo (mezanino infantil)
18h – Maracatu Estrela Brilhante do Recife
20h – Mestre Luiz Paixão

Segunda-feira, 10/07
18h – Caboclinho Canindé | Patrimônio Vivo
17h – Grão Circo Mamulengo (mezanino infantil)
20h – Coco de mulheres

Terça-feira, 11/07
17h – Mamulengo Nova Geração (mezanino infantil)
18h – Maracatu Leão Coroado | Patrimônio Vivo
20h – Dona Aurinha do Coco

Quarta-feira, 12/07
17h – Mamulengo Alegria (mezanino infantil)
18h – Maracatu Oxum Mirim
20h – Boi Pintado de Mestre Grimário

Quinta-feira, 13/07
17h – O Mar tá pra peixe – Cia. Agora eu Era (mezanino infantil)
18h – Troça Batutas de Agua Fria
20h – Orquestra Mungunzá de Zuza Miranda e Thais

Sexta-feira, 14/07
18h – Caboclinho Oxossi Pena Branca
18h – Suzana Morais – Clássicos em Cordel para crianças (mezanino infantil)
20h – Afoxé Oxum Pandá

Sábado, 15/07
16h – Coro Infantil do CPM com o espetáculo Arrasta Pé
17h – Jardim da Flor (mezanino infantil)
18h – Maracambuco
20h – Lia de Itamaracá | Patrimônio Vivo

Domingo, 16/07
18h – Orquestra de Pau e Cordas Evocação
20h – O Homem da Meia Noite | Patrimônio Vivo

CONFIRA ABAIXO OUTROS DESTAQUES DA FENEARTE:

COMPOSIÇÃO DA FENEARTE
Área externa: Espaço Interferência Janete Costa, Balcão de Informações, Salão de Arte Popular Ana Holanda, Salão de Arte Religiosa, Galeria de Reciclados, Programa Chapéu de Palha, Secretaria da Fazenda e Bilheterias.
Área interna – Alameda dos Mestres Janete Costa, Expositores Individuais de Pernambuco setorizados por tipologia, Prefeituras de Pernambuco e Associações, Agência de Fomento do Estado de Pernambuco (Agefepe), Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), Patrocinadores, Espaço Indígena, Alimentação Artesanal, Fenearte Solidária, Expositores Individuais de outros estados e Sebraes, Internacional, Praças de Descanso e Praça de Alimentação com o palco.
Mezanino – Passarela Fenearte, Fenearte Memória, Oficinas, Teatro Infantil, Escolinha de Arte do Recife, Alameda de Serviços, Rádio Fenearte, Procon, Assessoria de Imprensa e o restaurante Santo Expresso.

SALÕES DE ARTE POPULAR ANA HOLANDA E ARTE RELIGIOSA / GALERIA DOS RECICLADOS – Uma das inovações da 18ª edição da Fenearte é o posicionamento na área externa da Feira do Salão de Arte Popular Ana Holanda, do Salão de Arte Religiosa e da Galeria dos Reciclados. As mostras, cada uma reunindo 70 obras, serão instaladas lado a lado, numa área próxima às bilheterias. Esta mudança busca torná-las mais acessíveis, permitindo que um número maior de pessoas possa contemplá-las.

Curadoria – O arquiteto e colecionador Carlos Augusto Lira é o curador do 13º Salão de Arte Popular, que contará com trabalhos de todo o Brasil. Para o 2º Salão de Arte Religiosa, Frei Rinaldo Pereira, gestor do Museu de Arte Sacra de Pernambuco (Maspe), selecionou peças que traduzem a pluralidade de representações religiosas e criadas por artistas de todas as partes e crenças. O designer Ticiano Arraes assina a curadoria da 11ª Galeria de Reciclados com criações que tencionam uma reflexão sobre a sustentabilidade do nosso planeta.

Premiação – Em cada concurso, 3 ganhadores foram escolhidos por uma comissão julgadora formada por artistas, colecionadores, estudiosos e formadores de opinião. As obras vencedoras irão receber um prêmio de R$ 6 mil. E, durante a Feira, haverá ainda uma votação do Prêmio Aclamação que elegerá a melhor peça de cada exibição, através do voto popular em uma urna eletrônica presente no local. Cada vencedor receberá R$ 2 mil.

ESPAÇO INTERFERÊNCIA JANETE COSTA – Apresentar um espaço de exposição e discussão para que o público conheça diversos olhares sobre o artesanato e o design é a principal marca do Espaço Interferência Janete Costa. Idealizado pelas arquitetas Bete Paes e Roberta Borsoi, uma das atrações mais concorridas da Fenearte é inspirada no pioneirismo de um dos ícones da arquitetura brasileira, cuja trajetória foi marcada pela valorização da arte popular. Um estar, um quarto de jovem e uma sala de jantar serão os ambientes apresentados nesta edição, projetados com ênfase no mobiliário produzido em Pernambuco e decorados com objetos de arte popular e design artesanal.

Mestres Convidados– O espaço também receberá grandes nomes da arte popular de outros estados para apresentarem seus trabalhos em uma área expositiva e demonstrarem suas técnicas. Este ano estarão presentes o seguintes mestres convidados:
• Cornélio (Piauí)- Um dos principais expoentes da arte popular do Piaui. A história de esculpir santos começou aos 15, quando foi convidado a fazer o Cristo da igreja do bairro onde morava. “Trabalhava com meu pai na carpintaria e o padre insistiu para eu ajudar o escultor cearense Carlos Barroso. Logo depois, encomendaram uma Piedade de 1,60 m de altura. Foi aí que me animei. Comecei a fazer totens de todos os tamanhos, misturando santos com o que vejo na natureza”, diz um dos mais premiados artistas do país, cujas esculturas encantam pela riqueza de detalhes.
• Gerar (Bahia)–A arte sincrética do artista plástico e babalorixá une a fé católica e as matrizes africanas através do barro. Gerard teve a ideia de representar o sincretismo religioso em suas imagens com base na história de que os escravos, como seu avô, cultuavam os orixás escondidos, usando imagens católicas: assim surgiram as imagens de Nossa Senhora da Conceição com Oxum, São Jorge e Oxóssi e muitas outras. Elas são pintadas com cores naturais, extraídas do barro dos rios São Francisco e Grande. Do primeiro, é extraída a tabatinga, tinta branca, e do segundo, o tauá, de coloração amarelada que fica vermelha após ir ao forno.

Tributo a Antônio de Dedé (Alagoas) – O Espaço Interferência renderá tributo ao mestre-artesão Antônio de Dedé, Patrimônio Vivo de Alagoas falecido no último dia 16. Reconhecido internacionalmente, participou da coletiva “Histoires de Voir”, organizada pela Fundação Cartier, em Paris, e do projeto “Teimosia da Imaginação”, livro, documentário e exposição no Instituto Tomie Ohtake, uma iniciativa do Instituto do Imaginário do Povo Brasileiro. Autodidata, Antônio de Dedé aprendeu a arte observando o pai trabalhar a madeira na carpintaria e dizia ter uma relação “transparente com a sua criação”. Para ele, sua habilidade era um dom que surgiu da vontade de recriar o trabalho do pai. Trabalhos assinados pelo artista e seus filhos estarão expostos e disponíveis para comercialização.

Palestras ampliadas – O Espaço Interferência Janete Costa também será palco de 07 palestras gratuitas e abertas ao público. Os debates irão abordar o diálogo entre cultura popular e linguagens como design, arte, música e moda. Os encontros serão realizados entre os dias 07 e 14 de julho. Cada palestra terá duração de 60 minutos e capacidade para 70 pessoas sentadas. Para participar, os visitantes deverão retirar a senha de acesso no local uma hora antes do início.

ALAMEDA DOS MESTRES JANETE COSTA – Pernambuco tem uma das mais férteis produções de arte popular do Brasil. E essa grande riqueza artesanal poderá ser conferida na Alameda dos Mestres Janete Costa, logo na entrada da Feira. Nesta edição, o magistral abre-alas do evento dá boas vindas aos milhares de visitantes com a participação de 63 mestres artesãos pernambucanos. Esses reconhecidos expoentes, originários das mais diversas regiões do Estado, carregam a sabedoria de transformar matérias-primas em arte, cultura e identidade. Por meio de suas habilidades passadas de geração em geração, mantêm viva a diversidade cultural e escrevem a nossa história com as mãos cheias de talento, força e dedicação.

SETORIZAÇÃO POR TIPOLOGIA NOS EXPOSITORES DE PERNAMBUCO – Outra grande novidade deste ano é a setorização por tipo de artesanato na área dos expositores individuais de Pernambuco, situados na sequência da Alameda dos Mestres. A reorganização pretende facilitar a identificação dos produtos artesanais por meio das principais tipologias encontradas em nosso Estado, segmentando as 12 primeiras ruas em função das seguintes matérias-primas: Cerâmica; Madeira; Metal; Fibra; Pedra; Cabaça; Vidro; Papel; Tela; PVC; Materiais Sintéticos; Sabonete; Têxtil e Couro.

PLANTA E CENOGRAFIA – A cada ano é substancial o esforço de apresentar um evento mais atrativo ao público. Nesta 18 ª edição, Carlos Augusto Lira Arquitetos executou mudanças na planta buscando garantir um percurso com mais conforto e mobilidade. Os visitantes encontrarão corredores mais amplos otimizando o fluxo de pessoas. A cenografia valoriza os símbolos da bandeirade Pernambuco e as tipologias do artesanato. Na Alameda dos Mestres o destaque ficará por conta das fotos dos seus 63 integrantes reproduzidas em grandes painéis. A sinalização será reforçada por carpetes coloridos e placas suspensas que farão a decoração das 21 ruas e informarão o número das mesmas.

ESTADOS E PAÍSES – O Programa do Artesanato Brasileiro (PAB), além dos expositores individuais de todo o País, evidenciam a produção artesanal de cada uma das 27 unidades da Federação. O setor internacional, sempre um dos mais disputados, conta com a participação de 33 países distribuídos em 51 estandes. Destaque para a participação inédita da Argélia, Bielorrússia e Papua Nova Guiné.

SEBRAE PE – Para 2017, o Sebrae aposta em uma participação diferenciada. Além do tradicional apoio ao artesanato local, a instituição dará destaque à economia criativa. Em uma área de 504m², serão expostos e disponibilizados produtos artesanais com associação aos segmentos da música, moda e cultura, entre outros. Também haverá o TOP 100 de Artesanato, destinado à comercialização de peças de unidades produtivas artesanais contempladas pelo Prêmio do mesmo nome. Já no Armazém Sebrae de Artesanato, 28 expositores terão a oportunidade de apresentar seus produtos.O espaço também vai contar com um videowall com projeções de sugestões para utilização de artesanato em ambientes decorados.

Negócios – O Encontro de Negócios vai impulsionar a realização de negociações entre artesãos e compradores. Neste local, os produtores também serão atendidos por consultores do Sebrae, e poderão esclarecer dúvidas sobre o segmento, além de conhecer as ações da entidade com foco no mercado do artesanato. Além disso, duas mostras vão incrementar a atuação do Sebrae na 18ª Fenearte.

• Mostra Conceito: Economia Criativa– apresentação dos produtos de referência de empresários pernambucanos que atuam no segmento.
• MostraConceito: Inovação e Tecnologia Aplicada ao Artesanato – apresentação da inovação como premissa para que o artesanato possa crescer e ganhar mercado, mas sem perder a essência de tradição e sustentabilidade.

ÍNDIOS – Para as comunidades indígenas brasileiras o artesanato é uma eficiente forma de propagar a sua cultura. E a Fenearte é o local onde essa divulgação toma grandes proporções. Nesta edição, serão instalados 11 estandes com representações selecionadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai) das seguintes etnias: Kambiwá, Kapinawá, Xucuru, Atikum, Fulni-ô e Pankararú de Pernambuco, Pataxó da Bahia e Cariri-Xocó de Alagoas. A estrutura do local remete à estética indígena e privilegia a utilização demateriaisnaturais como a madeira.

PRAÇAS – Estudantes dos cursos de arquitetura de Pernambuco, além de jovens profissionais, projetaram as 06 praças de descanso. Participam desta edição: Escritório Albuquerque Malvinjunto com a arquiteta Tereza Beirão, e as faculdades Damas, UNINASSAU, Unicap, UFPE e DeVryFBV.

PASSARELA FENEARTE – O objetivo é valorizar o resgate de técnicas artesanais, da força criativa do feito à mão, articulando a costura entre moda e artesanato. O espaço, localizado no mezanino, vai apresentar 16 desfiles com trabalhos desenvolvidos pelas marcas Lela Correia, Aria Social por Conceito Marina, Carol Monteiro, BreshaMoulangerie, Jaqueline Deodato e pelos alunos dos cursos de moda das seguintes instituições de ensino: Instituto da Costura, Fadire, Faculdade Senac, DeVry FBV, DeVryUnifavip, Senai Paulista, Senai Caruaru e UFPE Campus Agreste. Associações de mulheres artesãs representadas pela Secretaria da Mulher também assinam produções que serão desfiladas.

Lukka Soares, talento nato que foi revelado no episódio do último incêndio de grandes proporções na comunidade Vila Santa Luzia, no Recife, irá realizar o sonho de ver sua criatividade se tornar real na passarela, numa parceria com a DeVry FBV. A estilista teve quase tudo destruído pelas chamas, mas felizmente conseguiu salvar os seus desenhos de moda. E,agora, o público terá a oportunidade de conferir parte deste rico acervo com a exibição de 100 croquis em uma mostra instalada junto à Passarela. A história de Lukka é um exemplo de superação que inspira a 18ª Fenearte e motiva a todos nós a não desistir dos sonhos.

FENEARTE MEMÓRIA – Ao final do percurso no piso superior, a nova atração permitirá que o público conheça um pouco da história Fenearte por meio de suas 18 edições. O espaço reunirá uma linha do tempo ilustrada com fotos e a exposição de peças vencedoras dos últimos Salões de Arte Popular. Um dos destaques será um jogo de memória que garantirá a interação dos visitantes.

APLICATIVO – Este ano a Fenearte contará com um aplicativo exclusivo, desenvolvido por seis alunos do terceiro ano do Ensino Médio Integrado do curso de Manutenção e Suporte em Informática da Escola Técnica Estadual (ETE) Maria José Vasconcelos. As funcionalidades incluem a localização dos expositores, a grade completa da programação, orientação sobre o mapa, informações sobre os espaços, etc. Sob a coordenação dos professores Paulo Henrique, Alexandre Torres e Inaldo Júnior, este é o sexto projeto dos alunos que já desenvolveram aplicativos para o Carnaval de Bezerros, o Festival de Inverno de Garanhuns e do Festival de Música na Escola. O aplicativo já está disponível para download para aparelhos Android, iOS e Windows Phone no endereço app.vcfenearte2017. Os visitantes da Fenearte terão acesso gratuito à internet via Wi-Fi na área do mezanino. O sinal estará disponível durante os 11 dias do evento garantindo conectividade e interação.

ATIVIDADES INFANTIS – O mezanino será um dos principais pontos para entreter a garotada nesta edição. Para facilitar a mobilidade dos pequenos, a Escolinha de Arte do Recife foi instalada no piso superior junto ao teatrinho infantil. Diversão não vai faltar. Entre as apresentações infantis estão o Grupo Lobatinho e Clássicos em Cordel por Suzana Morais.

ALIMENTAÇÃO – Uma multiplicidade de estilos culinários poderão ser degustados na Praça de Alimentação instalada em uma área de 2.418 m². O local contará com 12 restaurantes e 04 food trucks reunindo opções para todos os gostos. Entre eles, estão Bar da Fava, Casa do Pará, Acarajé da Bahia e o Rei das Coxinhas de Gravatá. Ao longo do percurso da Feira, os visitantes também encontrarão 26 estandes e quiosques de alimentação artesanal, além de 06 food bikes com lanches rápidos posicionadas perto das 06 praças de descanso. Em 02 espaços, um na parte inferior e outro maior no mezanino, a Santo Expresso Café comercializará tapiocas e refeições completas, uma excelente alternativa para aquela pausa merecida.

OFICINAS GRATUITAS – A Fenearte também vai oferecer um espaço para quem deseja aprender técnicas artesanais e colocar a mão na massa. As oficinas são gratuitas e serão realizadas no mezanino, mesmo local das inscrições. Os horários disponibilizados serão das 11h às 13h (sábado e domingo), das 15h às 17h e das 18h às 20h (todos os dias).

SERVIÇO 18ª FENEARTE
De 06 (quinta-feira) a 16 (domingo) de julho
Centro de Convenções de Pernambuco
Das 14h às 22h: segunda a sexta
Das 10h às 22h: sábado e domingo
Valores dos ingressos de segunda a quinta: R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)
Valores dos ingressos de sexta a domingo: R$ 12 (inteira) R$ 6 (meia)
Pontos de venda de ingressos: Bilheterias do evento, Centro de Artesanato de Pernambuco e nos shoppings RioMar (loja Riachuelo), Shopping Recife (quiosque Ticket Folia), Tacaruna (loja Riachuelo), Guararapes(quiosque Ticket Folia), Boa Vista (loja Riachuelo)
Observação: Meia-entrada para estudantes, crianças até 12 anos, professores e pessoas com mais de 60 anos

Estacionamento: Acesso ao estacionamento do Cecon ocorrerá apenas pela Av. Agamenon Magalhães, a saída será feita pela Av. Professor Andrade Bezerra (continuação da Estrada de Belém). Serão oferecidas 3.500 vagas no Centro de Convenções e Fábrica Tacaruna. Os carros de passeio pagarão R$ 7,50 das 7h à 0h.

Traslado: Shopping Tacaruna – Serviço de micro-ônibus gratuitos a cada 15 min do Shopping Tacaruna até o Centro de Convenções. Dias da semana (das 14h às 22h30). Sábados e domingos (das 10h às 22h30). Expresso Fenearte –Micro-ônibus com saída do RioMar Shopping farão o traslado dos passageiros até o Centro de Convenções de Pernambuco (gratuito). Os micro-ônibus funcionarão das 13h às 23h, de segunda a sexta-feira, e das 9h às 23h nos finais de semana, e sairão sempre da “Saída B”, no estacionamento do centro de compras com destino ao Centro de Convenções. O pagamento do estacionamento no shopping RioMar não será progressivo. O intervalo entre uma viagem e outra será de 30 minutos, de acordo com a demanda dos passageiros. A iniciativa é uma parceria da Fenearte com o shopping RioMar.

Fonte: http://www.cultura.pe.gov.br/canal/culturapopular/fenearte-exalta-a-riqueza-cultural-de-pernambuco/