Frente Brasil Popular toma as ruas do Recife em defesa da democracia

Frente Brasil Popular toma as ruas do Recife em defesa da democracia
As forças progressistas seguem firme na defesa da democracia. Essa foi a principal mensagem deixada pela Frente Brasil Popular para quem viu o ato de rua no Recife, na manhã deste sábado (03). A manifestação, que também foi realizada em várias cidades brasileiras, teve sua concentração na Praça do Derby e percorreu as principais avenidas do centro da cidade espalhando as cores de vários movimentos sociais e o discurso afiado contra o golpe, em defesa da Petrobras e de enfrentamento à crescente onda conservadora que atinge o Brasil.

Centenas de pessoas acompanharam lideranças de partidos políticos e dos movimentos sociais do estado. “Estamos fazendo aqui o que sempre fizemos. Ir às ruas travar o debate de ideias, por que as nossas armas contra o ódio e a intolerância são as ideias”, disse a presidente do PCdoB e deputada federal Luciana Santos, em cima do trio que percorreu toda a avenida Conde da Boa Vista (confira o vídeo com a fala completa ). Para ela, a esquerda precisa garantir que o seu conjunto de ideias e projetos prevaleçam pois, “não vamos deixar a direita ganhar no tapetão. Em 2014, mais de 54 milhões de pessoas escolheram a continuidade de um projeto, por isso, vamos pra cima deles (direita) defender a nossa democracia com garra e muita luta”.

Para o presidente do PCdoB de Pernambuco, Alanir Cardoso, a ideia é que a Frente tenha outros atos como esse “para que a população possa revelar nas ruas o desprezo pelo golpe, e acumular mais forças para essa transição que o Brasil está passando”, disse ele. “A crise econômica é bem menor que a crise política, por isso que os nossos esforços são para a superação desse momento político, por que na medida que superamos a crise política criamos condições para retomarmos o crescimento da economia…”, ressaltou Cardoso.

Disputa de projetos

“A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil se junta à Frente Brasil Popular por entender que o nosso país vive uma disputa de projetos…”, iniciou assim sua fala o representante da CTB, Helmilton Beserra. Para ele, a defesa do projeto iniciado em 2003 pelo ex-presidente Lula, passa também pela defesa da Petrobras, a empresa mais importante do Brasil. “A Petrobras é a responsável por 10% do Produto Interno Bruto brasileiro. Ela é fundamental para melhorar a educação, e sem a Petrobras fica muito difícil para esse país avançar em soberania e em qualidade de vida para o nosso povo…”, reforçou Beserra.

Durante todo o ato várias lideranças de movimentos sociais subiram no trio para discursar pelas ruas do centro, e entre uma fala e outra, alfaias e agbês complementavam o coro pró-diversidade, contra o golpe e a favor da Democracização da Comunicação, com a criatividade das músicas em tom de ordem, cantadas pelos próprios militantes. “Eu queria parabenizar todos os militantes que estão aqui hoje unificados numa convocação dessa Frente que fica ainda mais forte…”, afirmou o Coordenador do MST em Pernambuco, Jaime Amorim. “Não vamos aceitar esse modelo econômico que a burguesia está tentando nos enfiar goela abaixo, ao governo e ao povo brasileiro. Vamos para as ruas exigir que se cobre mais impostos dos ricos, por que esse modelo não é o modelo que foi eleito em novembro do ano passado. Contra a intolerância dos ricos, a intransigência dos pobres!”, finalizou.

Próximas ações

O vice-presidente da CUT/Pernambuco, e um dos coordenadores da Frente Brasil Popular no estado, Paulo Rocha, disse que no próximo dia 7 acontecerá uma reunião para avaliação do ato. “Vamos manter o contato com a coordenação nacional para continuarmos com atividades organizadas. Teremos um calendário de atividades em Pernambuco, mas ele precisa dialogar com as atividades do calendário nacional, e só saberemos os próximos atos após essa reunião do dia 7 de outubro…”, disse ele.

Do Recife;
João Paulo Seixas