Homenagem póstuma ao ex-ministro Fernando Lyra

Homenagem póstuma ao ex-ministro Fernando Lyra

 

Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, gostaria de fazer um registro. Há 5 dias nos deixou o ex-ministro Fernando Lyra. Com grande tristeza, nos despedimos desse pernambucano querido e respeitado na última sexta-feira, dia 15, no cemitério Morada da Paz, em Paulista, onde seu corpo foi enterrado.

Quero, portanto, para além de manifestar o meu pesar, homenagear o homem combativo, excelente articulador e grande amigo que ficará para sempre em nossas lembranças e, principalmente, na história da construção da democracia em Pernambuco e no Brasil.

Por fim, quero expressar minha solidariedade à sua família e dar como lido um pequeno texto sobre Fernando Lyra e sua contribuição à história democrática do nosso País. Muito obrigada.

O SR. PRESIDENTE (André Vargas) – Deputada Luciana, este Presidente também manifestou, exatamente nesse sentido, sua homenagem a Fernando Lyra. Vários Parlamentares também já manifestaram a vontade de fazer uma sessão solene, uma homenagem oficial desta Casa, a alguém que aqui cumpriu seis mandatos e deu outras tantas contribuições para a democracia brasileira, para as conquistas que hoje vivemos e que eram também um sonho de Fernando Lyra. Parabéns a V.Exa. pela iniciativa.

PRONUNCIAMENTO ENCAMINHADO PELA ORADORA 


Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados,

Fernando Lyra, filho de João Soares Lyra Filho e Guiomar Farias Lyra, nasceu em Recife, em 8 de outubro de 1938. Em 1964, formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Caruaru.

Iniciou sua vida pública em 1966, como Deputado Estadual, em Pernambuco. Foi ativo no combate à ditadura militar e exerceu sete mandatos de Deputado Federal (1970-1998). Grande articulador político, foi um dos principais organizadores da candidatura de Tancredo Neves à Presidência da República, no ocaso do regime militar, através do voto indireto, no Colégio Eleitoral, em 1985.

Fernando Lyra comandou o Ministério da Justiça entre março de 1985 e fevereiro de 1986, durante o governo José Sarney, e foi candidato a Vice-Presidente da República nas eleições de 1989, na chapa encabeçada por Leonel Brizola.

Foi filiado ao PMDB, ao PDT e ao PSB e fez parte do grupo que ficou conhecido como Os Autênticos do MDB, que militava contra a ditadura. Lyra também participou da coordenação da campanha que elegeu Eduardo Campos (PSB) Governador de Pernambuco, em 2006.

O último cargo público ocupado por Fernando Lyra foi a Presidência da Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ), entre 2003 e 2011.