Luciana: Com o plebiscito, vamos dialogar com o sentimento do povo

Luciana: Com o plebiscito, vamos dialogar com o sentimento do povo
resize_1379589601.jpg

Em intervenção durante o 16º Congresso Estadual da União da Juventude Socialista (UJS) realizado no Recife entre os dias 8 e 10 de julho, a deputada federal e presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos, chamou a atenção para a atual situação do Brasil, com um golpe em curso; explicou a proposta encabeçada pelo partido de realizar um plebiscito e convocou todos e todas a irem às ruas em defesa da democracia.

“Nós vamos às ruas para mostrar toda a nossa indignação”, afirma Luciana Antes, ela fez uma análise dos avanços obtidos nos últimos 13 anos, comparando-os com a herança dos governos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

“Mesmo com o desemprego, com a inflação, mesmo com esse revés político que estamos atravessando ainda temos melhores indicadores do que nos governos FHC. A inflação e o desemprego eram maiores, não se abriu nenhuma vaga nas universidades públicas, não se enfrentou a pobreza nem as desigualdades regionais. Nesses 13 anos tivemos a inclusão dos jovens nas universidades, com o Fies, Prouni, e as cotas que garantiram o acesso ao ensino superior aos alunos das escolas públicas”, destacou.

Para Luciana, “essa é a força objetiva do nosso legado e num momento como este nós temos de resgatá-lo porque ele é real e, para isso, precisamos que a população perceba que a ascensão social alcançada pelos trabalhadores se deve tanto ao mérito pessoal quanto à criação de oportunidades pelos governos de Lula e Dilma. Nós precisamos ter oportunidades, possibilidades, para as pessoas. Sem isso, nós não faremos a verdadeira inclusão social que o Brasil merece e precisa”, enfatizou.

“É por isso que nós estamos na luta contra o golpe. Um conjunto de forças políticas, um conluio de forças reacionárias, de direita, do DEM, do PSDB, inconformadas com quatro derrotas consecutivas na disputa pela Presidência da República, se uniram para impor o golpe ao povo brasileiro em uma agenda de rápida execução. Além disso, temos o conluio de setores da mídia, de setores do judiciário, do pacto das elites do Brasil, para, assim, impor uma agenda perversa, uma agenda de lesa-pátria, entreguista”, ressaltou a dirigente comunista.

Diálogo com o povo

Luciana explicou ainda os motivos pelos quais o PCdoB defende a realização de um plebiscito sobre a antecipação das eleições. “Desde a nossa derrota com o afastamento da presidenta Dilma nós estamos defendendo a realização do plebiscito como forma de dialogar com o grande sentimento da população. Porque tem uma grande parcela da população que critica o governo Dilma, que tem muitas decepções com o PT, mas que, ao mesmo tempo, não aceita o golpe, não aceita a falta de respeito à soberania popular, ao voto popular, não aceita essa agenda que está sendo imposta ao país. O plebiscito, acima de tudo, revalidará ou não o programa, o projeto político que Dilma representa. Então, nós precisamos validar a soberania popular. Isso é que nos fez chegar até aqui. Os comunistas sabem muito bem o que significa a falta de democracia, porque eles foram perseguidos, torturados e mortos quando não se teve democracia no país”, afirmou.

“Por isso, nós vamos para as ruas, nós teremos manifestações no dia 26 de julho e no dia 5 de agosto, agenda da Frente Brasil Popular, cujo pico deve ser no dia 9 de agosto, dia da votação no Senado, quando precisamos colocar gente na rua para mostrar toda a nossa indignação diante dessa situação e, com isso, pressionar para que os votos no Senado sejam revertidos. O plebiscito serve também para isso, pois muitos senadores precisam de uma saída política para justificar o voto nem que seja de abstenção para que possamos fazer valer a luta”.

Eleições municipais

Candidatos_UJS_PE

Ao encerrar, Luciana destacou também a presença da juventude comunista nas eleições municipais em Pernambuco. “Nós temos a luta para poder disputar as eleições municipais com uma nova política, com uma nova cara”. Ela citou nominalmente os jovens da UJS PE que disputarão cargos nas Câmaras Municipais em outubro próximo: Matheus Lins (Olinda); Anderson Rangel (Camaragibe); Melka Pinto (Recife); Jesus (Ouricuri); Rodolfo (Itamaracá), Paulo Coelho (Santa Cruz do Capibaribe) (foto). “Eles representarão muito bem o pensamento avançado, que reverta uma tendência mais conservadora da antipolítica e da política de direita em nosso estado”, disse.

Audicéa Rodrigues
Do Recife

Para o Portal Vermelho/PE