Luciana fala sobre a autonomia e participação social da mulher no IFPE

Luciana fala sobre a autonomia e participação social da mulher no IFPE
luciana-fala-sobre-a-autonomia-e-participacao-social-da-mulher-no-ifpe

luciana-fala-sobre-a-autonomia-e-participacao-social-da-mulher-no-ifpeA deputada federal Luciana Santos (PCdoB-PE) participou de encontro em homenagem às mulheres, na manhã desta sexta-feira (14), no auditório do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). Em debate, a autonomia e participação da mulher na esfera social e política.

   

luciana-fala-sobre-a-autonomia-e-participacao-social-da-mulher-no-ifpeA deputada federal Luciana Santos (PCdoB-PE) participou de encontro em homenagem às mulheres, na manhã desta sexta-feira (14), no auditório do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). Em debate, a autonomia e participação da mulher na esfera social e política.

Como referência da luta e resistência feminina, Luciana Santos citou nomes como as Heroínas de Tejucupapo. “Há pouco registro na literatura sobre essas mulheres que exerceram papel importantíssimo de resistência política”. Nísia Guimarães, do movimento abolicista, e Celina Guimarães, primeira mulher a tirar o título eleitoral do Brasil, em Mossoró, Rio Grande do Norte, também foram lembradas pela parlamentar.

“Esses são os primeiros exemplos de organização feminina do nosso País. Mas vale ressaltar que nós só conquistamos o direito de votar na década de 30, uma época não muito distante”, destacou Luciana.

Referindo-se às diferenças de gênero no mercado de trabalho, a deputada frisou que as mulheres continuam recebendo salários diferentes, mesmo exercendo funções iguais. Os índices apontam que o sexo feminino representa a maior taxa de desemprego do País.

“Apesar dos números globais, Pernambuco anunciou recentemente 4 mil vagas de emprego para a indústria de transformação, sendo 3 mil direcionadas para mulheres. A maior participação da mulher no mercado de trabalho é aqui no Estado”, revelou Luciana.

A deputada ressaltou, ainda, desvalorização do sexo feminino na comunicação. “Seja na música, no teatro, no cinema ou na publicidade, a mulher tem seu corpo comercializado. A violência surge do tratamento da mulher como propriedade, como coisa descartável”.

Em 2014, 47 mulheres já foram assassinadas no Estado. “A cada 2 horas, uma mulher é assassinada no Brasil. Pernambuco é o 10° estado no ranking violência contra mulher e o País é o 7° do mundo”, informou.

Luciana Santos encerrou o debate afirmando que a participação da mulher na política é essencial para que haja mais igualdade de gênero e justiça social. “Três mulheres, na história de Pernambuco, representaram o Estado na Câmara dos Deputados: eu, Ana Arraes e Cristina Tavares”, disse complementando que os números comprovam a defasagem feminina em momentos decisórios: somente 10% do Congresso Nacional é formado por mulheres.

Da Assessoria em Recife.