Luciana Santos será agraciada com o Prêmio Augusto Mochel 2016

Luciana Santos será agraciada com o Prêmio Augusto Mochel 2016

A deputada federal Luciana Santos é uma das homenageadas na 10ª edição do Prêmio Augusto Mochel, conferido pelo PCdoB no Maranhão em reconhecimento às lideranças políticas, militantes e entidades que tenham se dedicado às causas democráticas no Maranhão. O prêmio foi instituído em 2007 pelo então deputado federal — hoje governador do estado — Flávio Dino.

“Estou muito lisonjeada com essa homenagem e me sinto muito honrada em receber esse prêmio, ao lado de pessoas que lutam pela democracia e por um mundo mais justo. Estarei com muito prazer em São Luís para receber o prêmio, agradecer a deferência do PCdoB Maranhão e da Fundação Maurício Grabois e reverenciar a memória de José Augusto Mochel que foi um grande militante das causas do povo brasileiro”, disse Luciana.

Além da deputada e presidenta nacional do PCdoB, serão homenageados o grupo artístico Laborarte; o militante do PDT, empresário, poeta e produtor cultural Renato Dionísio; o médico, professor universitário e ativista social, professor Luizão; o educador professor Roberto Mauro Gurgel; o jornalista e ex-deputado Luiz Pedro; e a professora, bibliotecária e militante do feminismo, Mary Ferreira.

A homenagem póstuma do Prêmio José Augusto Mochel 2016 será dedicada à professora e militante de esquerda, Ieda Batista, que faleceu em 2008.

Quem foi José Augusto Mochel?

O líder comunista José Augusto Mochel foi militante do movimento estudantil secundarista e universitário, marcando sua atuação no combate à ditadura militar.

Mochel participou ativamente da luta pela redemocratização, apoiou as lutas de resistência camponesa num momento de graves conflitos pela posse da terra. Participou da luta pela anistia e ajudou a fundar a Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos. Foi um dos reorganizadores do PCdoB no Maranhão, tendo sido candidato a deputado federal nas eleições de 1982 pelo PMDB, já que à época esse era o espaço de atuação do PCdoB, partido que estava na ilegalidade imposta pela ditadura.

Faleceu em 25 de março de 1988, em São Paulo.

De Brasília;
Ana Cristina Santos
Com informações do PCdoB/MA