Nota da direção nacional do PCdoB sobre a desfiliação dos parlamentares Aliel Machado e João Derly

Nota da direção nacional do PCdoB sobre a desfiliação dos parlamentares Aliel Machado e João Derly
Bandeira do PCdoB

São Paulo, 29 de setembro de 2015

O Partido Comunista do Brasil, ao longo de seus 93 anos de trajetória, se caracteriza pelo compromisso com a independência nacional, a democracia, o desenvolvimento, os interesses dos trabalhadores e a justiça social, e a luta por construir um Brasil socialista. Neste momento difícil da nação, onde forças conservadoras e oportunistas operam para desestabilizar o país e defendem abertamente o golpe, o PCdoB não titubeia de que lado está. A defesa da democracia e do mandato da presidenta Dilma é um divisor no cenário político brasileiro.

Concebemos a atividade política como ação coletiva em busca de transformações sociais. Nossa militância – principal patrimônio do partido – atua nas batalhas eleitorais com garra e brio para eleger nossos representantes, convictos de que são mandatos que representam um instrumento coletivo da luta política.

Estes princípios fazem do PCdoB um partido respeitado e admirado por todas as forças políticas do país. Não somos um partido de conveniências, que navega ao sabor dos ventos. Estas convicções têm atraído inúmeras lideranças para o partido, na busca de contribuir para um país soberano e para a emancipação de nosso povo.

A saída de dois parlamentares eleitos com a decisiva participação de nossa militância – João Derly (Rio Grande do Sul), e Aliel Machado (Paraná) – não combina com as ideias de uma política diferente e renovadora, mas sim com práticas de uma velha política. A atitude foi agravada pela forma, pois a direção foi informada na última hora. Além do que, os pretextos apresentados não se justificam, dado que, as posições da bancada são reflexos da linha partidária. Na verdade, a atitude dos dois parlamentares coloca interesses personalistas acima do projeto coletivo partidário.

Nosso partido é como um trem, tem seu destino, sua missão histórica de superar o capitalismo. Em algumas estações alguns entram, outros saem, mas seguimos nosso rumo. Firmes com coragem e convicção de que fazer política não pode ser resultado de conveniências momentâneas, ou projetos individuais. O PCdoB continuará lutando contra os retrocessos e a agenda conservadora, e pelo aprofundamento das mudanças que o Brasil precisa.

Luciana Santos – Presidenta Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e deputada federal por Pernambuco