PCdoB ingressa com ação popular para baixar o preço do gás de cozinha

PCdoB ingressa com ação popular para baixar o preço do gás de cozinha

A deputada Luciana Santos e a bancada do Partido Comunista do Brasil no Congresso Nacional, ingressaram com uma ação popular na justiça estadual de Brasília para reverter a política de preços do gás de cozinha. Com a política de preços adotada na gestão do ex-presidente Pedro Parente, no Governo Temer, os valores do botijão chegaram a R$ 80. A ação, se deferida, valerá para todo território nacional.

Luciana argumenta que os preços estão abusivos e que por este motivo pelo menos 1 milhão de famílias voltaram a usar lenha para cozinhar. “Não podemos permitir que a política de preços de Temer para a Petrobras continue penalizando nosso povo, colocando, inclusive, suas vidas em risco”, comentou.

A ação pede para ser decretada nula a política de preços internacionais de ciclos curtos adotada pela Petrobrás para o gás de cozinha e citação da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para prestar informações e esclarecimentos sobre a política de preços do GLP adotada pela Petrobrás.

Dessa forma, segundo a ação popular “poderá reduzir o excedente do preço do botijão de gás no que foi majorado em percentual superior à inflação desde o primeiro semestre de 2016”.

Assinam o documento também os deputados Jandira Feghali (RJ), Alice Portugal (BA), Orlando Silva (SP), Professora Marcivânia (AP), Daniel Almeida (BA), Chico Lopes (CE), Rubens Junior (MA), Jô Moraes (MG) e a senadora Vanessa Grazziotin (AM).