PCdoB, 91 anos de protagonismo nas lutas pelo Brasil

PCdoB, 91 anos de protagonismo nas lutas pelo Brasil
thumbnail_1364242438.jpg

thumbnail_1364242438.jpg

Presidente do PCdoB se emociona ao falar dos 91 anos do partido em entrevista ao Palavra do Presidente

resize_1364242438.jpg

Ao som da Internacional Comunista, Renato Rabelo, presidente do PCdoB, externou, durante mais uma edição do Palavra do Presidente, sua emoção ao falar dos 91 anos do Partido Comunista do Brasil e do significado de ser comunista. Segundo ele, “esta data marca a entrada do decênio de comemoração do centenário do PCdoB“.
 
Ele lembra que completamos 91 anos de luta, nos quais sustentamos, bravamente, a bandeira da liberdade, da democracia, da soberania nacional e do socialismo.
 
“O Partido Comunista do Brasil sempre defendeu a paz e a solidariedade entre os povos e refutou a guerra e a espoliação imperialista. Tem no seu caráter, na sua existência, a luta pela liberdade política, de expressão, de organização, e pela igualdade de gênero, raça e religião. Por isso mesmo, o PCdoB foi e tem sido alvo da sanha reacionária dos setores conservadores do nosso país.“
 
Segundo Renato, “o Partido tem sido uma força protagonista deste novo e promissor ciclo político que vive a nação brasileira e os trabalhadores, aberto com a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva em 2002, e continuado por Dilma Rousseff. Mas, nossa essência deixa claro que nunca perdemos de vista nossas lutas. Por isso, os festejos do 25 de março têm a força de renovar seu apelo de luta aos trabalhadores e ao povo para que o país siga nas mudanças“, pontuou o dirigente comunista.
 
Ele lembra que para contar a história do Brasil é preciso contar a história do PCdoB. “Ao cabo desses 91 anos a trajetória do PCdoB se insere na história republicana brasileira. Estávamos presentes em todos os momentos mais importantes da luta política. A dimensão do Partido é medida por seu papel e sua ascendência na história do Brasil. Apesar da discriminação cívica dos comunistas pelas classes dominantes, constância da formação social brasileira, a atividade do Partido esteve vinculada em várias ocasiões à contribuição para determinação ou desfecho de episódios importantes da história do Brasil.“ 

Lances da história
 
Na oportunidade, Renato Rabelo rememorou a participação do PCdoB em momentos como a ditadura militar, Diretas Já, construção da Constituinte, Fora Collor e FHC e a criação da Frente Brasil Popular, que lançaria Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência e iniciaria uma movimentação que desembocaria na vitória das forças progressistas e populares em 2002. 
 
“O protagonismo do PCdoB desde 1989 contribuiu acentuadamente para a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República em 2002; sua reeleição em 2006 e eleição de sua sucessora, a presidenta Dilma Rousseff, em 2010; a assunção de responsabilidades no novo governo, destacando-se principalmente a participação decisiva do Partido na crise política de 2005, quando esteve em jogo o próprio destino do governo Lula“, lembrou o dirigente.
 
Ele destaca que dos 123 anos de República, 91 tiveram a ampla e destacada atuação do PCdoB. “O Partido estimulou e catalisou em todos os períodos da nossa história a justa luta dos trabalhadores. Tal acervo é resultado da militância revolucionária de várias gerações de comunistas. Nestas gerações estão presentes muitos heróis do povo brasileiro e inúmeros mártires cuja memória é respeitada e fornece energia transformadora profunda à luta contemporânea.”
 
Novo ciclo
 
Renato lembra que estão diante de nós grandes desafios impostos pelo novo tempo e pela nova luta pelo socialismo. “Na visão do PCdoB é chegada a hora de uma nova arrancada, que garanta o aprofundamento do ciclo político aberto com a vitória de Lula. De modo a enfrentar a profunda crise estrutural do capitalismo, iniciada em 2008; fomentar as transformações políticas que vive o continente latino-americano e caribenho; a intensificar a luta anti-imperialista. Ou seja, esse novo período histórico em que estamos inseridos coloca os povos e as nações diante de uma encruzilhada de rumos a seguir. Está no centro a definição e luta por uma nova alternativa – necessária e viável – capaz de conformar uma transformação que supere o modelo em crise.“
 
Por fim, Renato Rabelo reforçou que os comunistas atuam com o objetivo de, no governo que participamos, dar curso ao um Projeto Nacional de Desenvolvimento. 
 
“Neste tempo presente é primordial distinguir nova oportunidade histórica e seguir caminhopróprio, de mudança estrutural, não se limitando a remediar o impasse gerado pela grande crise do capitalismo. O PCdoB tem sido leal na sua relação com o governo, mas não renuncia à sua independência, mantém uma relação de respeito mútuo com os nossos aliados. Nosso Partido defende e respeita a autonomia dos movimentos sociais. A participação e mobilização do povo é a força motriz das mudanças indispensáveis para o alcance de um Brasil, soberano, próspero, democrático e solidário”, finalizou o dirigente. 
Do Portal Vermelho