Pernambuco se mobiliza pela legalidade e contra o golpe

Pernambuco se mobiliza pela legalidade e contra o golpe

A sociedade civil brasileira se mobiliza para barrar o golpe de Estado, disfarçado de impeachment, ora em curso. No Recife, os movimentos sociais, partidos políticos e outras entidades civis se preparam para o Dia Nacional de Mobilização contra o golpe e em defesa da democracia e dos direitos sociais convocado para esta quinta-feira (31) pela Frente Brasil Popular.

Evento será na quinta-feira a partir das 16h Evento será na quinta-feira a partir das 16h A data será marcada por uma grande marcha em Brasília (DF) e atos em várias cidades de todo o país. Na capital de Pernambuco, a mobilização começa às 16h e percorrerá as principais vias do centro. A concentração será na Praça do Derby.

No Recife, a reação ao golpe vem reunindo centenas de pessoas em eventos quase diários. Nesta terça-feira (29), grupo formado por artistas, produtores, operadores e apreciadores da cultura se reuniram no Monumento Tortura Nunca Mais, localizado na Rua da Aurora, centro da cidade, no evento Arte para a Democracia onde chamaram atenção para o “intenso ataque da intolerância, do ódio e da falta de respeito ao Estado Democrático de Direito”.

Nesta quarta-feira (30), será a vez de alunos e professores das universidades Federal (UFPE) e Federal Rural (UFRPE) realizarem manifestações contra o golpe e em defesa da democracia. Na Rural, o ato acontecerá às 18h, em frente ao Centro de Ensino de Graduação (Cegoe). Na UFPE, estudantes e professores se reúnem em ato cultural em frente ao lago da instituição.

Também na UFPE, alunos, professores e funcionários técnico-administrativos criaram o Comitê contra o Golpe, que já promoveu dois encontros. O primeiro, no dia 21 de março, reuniu cerca de 200 pessoas no Centro de Artes e Comunicação. Nesta segunda-feira (28), aconteceu uma nova manifestação desta vez no hall do Centro de Educação.

O grupo criou também uma página no Facebook. “Na página vamos divulgar novas atividades e encontros. Estamos unidos no combate à corrupção e em defesa do Estado Democrático de Direito. Estamos unidos contra o golpe”, disse o professor José Luís Simões, um dos coordenadores da mobilização.

Academia diz não ao golpe

O apoio do mundo acadêmico do Recife contra o golpe e pela democracia reuniu também na segunda-feira (21) cerca de 200 pessoas nas escadarias da Faculdade de Direito do Recife (foto). “Hoje infelizmente o salvador da pátria é um magistrado, um colega, que fere, frontalmente, as garantias constitucionais. E isso é visto como normalidade porque o que mais importa é colocar os ‘canalhas’ na cadeia”, disse o juiz do Trabalho André Luiz Machado.

Na ocasião, o diretor da Faculdade, professor e desembargador aposentado Francisco Queiroz, informou que participará do grupo de juristas que vão elaborar a defesa que a presidenta terá de apresentar à Câmara de Deputados no início de abril.

Padre Pedro Rubens, reitor da Universidade católica de Pernambuco (Unicap) divulgou nota oficial da instituição de ensino na qual manifesta solidariedade ao povo brasileiro ” neste momento de crise política e societária que agrava a crise econômica nacional, afetando, sobretudo os mais empobrecidos”.

No documento, o reitor lembra ainda que “os últimos acontecimentos revelam o descumprimento de regras fundamentais do direito. Acusações de parte à parte polarizam posições e grupos, aumentando o clima de instabilidade e dificultando a busca de uma saída democrática. Nas ruas e nas instituições, os ânimos estão excessivamente acirrados. E, nesse contexto, corremos o risco de fechar os canais de diálogo essenciais à democracia”.

Também a reitora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), Cláudia Sansil, se manifestou, em nota oficial, sobre a atual situação política do país.

“Diante da recente instabilidade no cenário político nacional, com clara ameaça de ruptura da ordem democrática, o IFPE vem manifestar sua preocupação com os últimos acontecimentos e com o risco gerado à manutenção e à consolidação dos enormes avanços vivenciados na educação pública. Espera-se que todas as investigações sejam conduzidas de forma ética, impessoal e com base na Lei, evitando julgamentos precipitados ou influenciados por factoides.”

Justiça para todos

No dia 17 de março, o reitor e a vice-reitora da UPE (Universidade de Pernambuco), professores Pedro Falcão e Socorro Cavalcanti, respectivamente, divulgaram nota oficial em defesa do Estado de Direito, da ética e da justiça para todos.

“Defendemos o Estado de Direito, a ética, a justiça para todos, o respeito às instituições e a ordem democrática. Reconhecemos os substantivos avanços no campo social que o País vivenciou, bem como o esforço para continuidade de políticas que diminuem as assimetrias regionais de uma nação historicamente desigual. O rompimento da ordem democrática poderá trazer graves consequências, não só para o campo político, mas para todas as esferas da sociedade civil”, alertaram os reitores.

Foto: Alexandre Gondim/JC Imagens

Audicéa Rodrigues
Do Recife

Para o Portal Vermelho