Porto Digital lança projeto MINAs, para investir nas mulheres

Porto Digital lança projeto MINAs, para investir nas mulheres

Por Marina Barbosa, da Folha de Pernambuco 

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) acredita que a economia mundial poderia registrar um acréscimo de US$ 28 trilhões caso homens e mulheres tivessem oportunidades iguais de qualificação e emprego. Mesmo assim, a equidade de gênero ainda é algo distante na Ciência e na Tecnologia – campo que deve gerar a maior parte dos trabalhos do futuro. No Brasil, por exemplo, as mulheres ocupam apenas 20% deste mercado. E em Pernambuco, só 26% dos empreendedores do Porto Digital são mulheres. Mas o parque tecnológico quer mudar esta realidade. Por isso, lança nesta sexta-feira (6) o programa Mulheres em Inovação, Negócios e Artes (MINAs), iniciativa que vai aplicar ao menos R$ 500 mil em ações que buscam aproximar as mulheres da inovação.

“Queremos desmistificar a ideia de que tecnologia não é lugar de mulher; criar ambientes mais acolhedores nas escolas, universidades e empresas da área; e construir programas que incentivem a participação feminina no Porto Digital. Ou seja, queremos fortalecer a participação da mulher nos campos da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e da Economia Criativa”, contou a coordenadora das MINAs, Natália Lacerda, destacando que este programa olha para todos os estágios da vida da mulher. “Temos três eixos de atuação: estudantes, profissionais e geração de negócios ou empreendedorismo”, adiantou, explicando que essas ações terão um orçamento próprio dentro do Porto Digital. “Começamos com R$ 500 mil, fruto de uma emenda parlamentar da deputada Luciana Santos. Mas também trabalharemos de maneira transversal aos demais projetos do Porto”, explicou Natália.

Para as estudantes, as MINAs prevêm oficinas práticas, dinâmicas de mercado e desafios de desenvolvimento de projeto que coloquem crianças, adolescentes e jovens em contato com a inovação. Caso surjam ideias de negócios nessas atividades, as mulheres ainda contarão com o apoio do Porto Digital na estruturação desses negócios. É que o parque também vai passar a oferecer programas de qualificação de negócios e de empreendedorismo específicos para equipes majoritariamente femininas.

Além disso, será construído um espaço parental no próximo empresarial de tecnologia do Bairro do Recife. A ideia é que o edifício, que fica na Rua do Apolo, tenha salas de trabalho, espaços de coworking e também um espaço para acolhimento de crianças, para que as mulheres que trabalham no Porto Digital tenham onde deixar seus filhos enquanto estiverem no emprego. “O objetivo é reinserir as mães no mercado de trabalho, porque pesquisas mostram que menos da metade das mulheres voltam ao emprego depois da licença maternidade”, explicou Natália, contando que as obras desse prédio já começaram e devem ser concluídas em junho de 2019. Já as oficinas de iniciação e os cursos de qualificação tecnológica começarão a ser lançados ainda neste ano. “Queremos atingir mil estudantes; 120 mulheres, incluindo mães; e 30 novas empreendedoras nos próximos três anos”, conta Natália.