Saudação aos 108 anos de Roberto Burle Marx

Saudação aos 108 anos de Roberto Burle Marx

Senhor presidente;

Me permita fazer um informe para que conste nos registros dessa comissão uma iniciativa que honra e reverencia o legado de um dos maiores arquitetos e paisagistas do século XX, Roberto Burle Marx, que se estivesse vivo teria completado 108 anos, no último dia 4 de agosto.

Seus jardins, curvilíneos, com formatos geométricos e contraste de cores, tornaram-se sinônimo do paisagismo brasileiro no mundo. Burle Marx inovou ao usar plantas nativas do Brasil e tornou-se sua característica marcante. Inclusive, os ipês que tornam Brasília ainda mais encantadora nessa época do ano foram plantados por ideia dele.

Além de arquiteto paisagista, Burle Marx destacou-se também como pintor, escultor, tapeceiro, ceramista e designer. Desde 1º de agosto, uma série de eventos comemora o aniversário do arquiteto que é reconhecido internacionalmente.

A Semana Burle Marx 2017 é uma iniciativa da Prefeitura do Recife, instituída por Lei Municipal de autoria do então vereador e hoje vice-prefeito, Luciano Siqueira. A programação do evento, que chega a sua 9ª edição, vai até o dia 14 de agosto, incluindo cursos, palestras, lançamento de aplicativos, passeio turístico e ação educativa.

As 15 áreas verdes – praças e parques – projetadas por Burle Marx hoje são patrimônio histórico e ambiental do Recife. Os jardins contemplados foram projetados pelo paisagista entre 1934 e 1937, ao trabalhar na capital pernambucana. São eles: praças de Casa Forte, Euclides da Cunha, República e Jardim do Campo das Princesas, Derby, Salgado Filho, Faria Neves, Pinto Damaso, Entroncamento, Chora Menino, Maciel Pinheiro, Dezessete, Artur Oscar, Jardim da Capela da Jaqueira e os largos da Paz e das Cinco Pontas.

Nós temos nos empenhado, senhor presidente, sob a batuta do Comitê Burle Marx —— que é coordenado pelo Gabinete do vice-prefeito, e formado pela CAU-PE, Emlurb, Fundação de Cultura Cidade do Recife (FCCR), Fundarpe, IAB, Laboratório da Paisagem da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Museu da Cidade do Recife, Mamam, Oráculo Consultoria e pelas secretarias municipais de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente; Educação; Mobilidade e Controle Urbano; e Turismo —-, para que essas praças se tornem patrimônio cultural do Brasil. Porque esse acervo faz parte da história da nossa capital pernambucana, consegue dialogar com a nossa cultura e com o nosso jeito de ser. Esperamos contar com o apoio dessa Comissão de Cultura para que esse intento seja conquistado.

Muito obrigada.

*Discurso proferido na Comissão de Cultura, dia 04 de agosto de 2017.