Violência contra a mulher em queda em Pernambuco

Violência contra a mulher em queda em Pernambuco
Denuncie

PACTO PELA VIDA
Estado cria delegacias especializadas e programas para incentivar as vítimas a denunciar os agressores. 

Denuncie

Depois de oito anos da criação da Lei Maria da Penha, o Estado de Pernambuco apresenta queda no número de assassinatos de mulheres. Em 2013, foram registrados 5,2 homicídios de pessoas do sexo feminino por 100 mil mulheres. Em 2006, a taxa era de 7,2. Outro dado que mostra declínio desses crimes vem de janeiro a outubro deste ano, quando foram assassinadas 187 mulheres no Estado – uma queda de 8,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Esses números foram apresentados pela Secretaria da Mulher de Pernambuco (SecMulher/PE) para marcar o Dia Internacional de Combate à Violência contra as Mulheres. Os resultados vêm dos R$ 55 milhões investidos para aplicar a Lei Maria da Penha no Estado. O trabalho ganhou reforço, há dois anos, com a criação da câmara do Pacto pela Vida voltada para combater esse tipo de violência.

“Desenvolvemos ações para combater agressões dessa natureza, inclusive nas comunidades rurais, onde as vítimas não conseguem apoio para sair do ciclo de violência”, ressalta a diretora de Enfrentamento da Violência de Gênero da SecMulher/PE, Fábia Lopes.

Desde setembro, dois ônibus circulam em áreas rurais de municípios da Região Metropolitana do Recife (RMR), da Zona da Mata e do Agreste. “Nesses lugares, precisamos levar orientação sobre os tipos de violência. Muitas mulheres são agredidas, sofrem e nem percebem que vivenciam um ciclo de constrangimento físico ou moral”, diz Fábia. Ela informa que, em 2015, será implementada a campanha Maria da Penha vai à Escola.

Entre os serviços que ajudam a combater a violência contra a mulher, estão as patrulhas Maria da Penha. No total, três viaturas atuam diariamente, das 8h às 22h, no Grande Recife e uma em Caruaru. Também depois da criação da Lei Maria da Penha, o número de delegacias de atendimento ao público feminino saiu de 4 para 10. Estão no Recife, Jaboatão dos Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Paulista, Vitória de Santo Antão, Goiana, Caruaru, Surubim, Garanhuns e Petrolina. Os municípios de Ipojuca, Ouricuri, Afogados da Ingazeira e Salgueiro ganharão brevemente suas unidades.

Ao longo do último ano, das 4.697 mulheres atendidas nas delegacias especializadas, 3.558 foram visitadas pelas patrulhas, o que significa um alcance de 76% das vítimas

LINHA DIRETA – A Secretaria da Mulher do Recife lançou ontem a campanha Ser feliz. Eu vou. É meu direito, a fim de celebrar o movimento internacional de 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, com ações que vão até 10 de dezembro.

O trabalho culmina com um serviço que incentiva a denúncia dos crimes através do Liga, Mulher (0800-2810107), telefone do Centro de Referência Clarice Lispector, localizado no bairro da Boa Vista, área central do Recife. No local, são oferecidos serviços especializados à mulher em situação de violência doméstica, familiar e sexual.

“Nossa ação marca a luta internacional pelo fim das desigualdades contra as mulheres. O Liga, Mulher é um canal que serve não só para denunciar, mas também para oferecer orientações sobre a rede especializada no atendimento às vítimas de violência”, diz a secretária da Mulher do Recife, Silvia Cordeiro.

As vítimas podem ser encaminhadas para o centro pelas delegacias, hospitais e unidades de saúde. “É bom reforçar que elas podem procurar o serviço espontaneamente”, informa a gerente de Promoção da Cidade Segura para as Mulheres, Ana Cecília Gonzalez. “Para serem atendidas, elas não precisam denunciar o agressor. Oferecemos segurança e proteção”, completa a gestora.

Criado em 2001, o Centro de Referência Clarice Lispector conta com advogados, psicólogos e assistentes sociais. A unidade também promove palestras e oficinas. Por mês, são realizados cerca de 250 atendimentos.

Fonte: Jornal do Commercio
Imagem: Sec Mulher PE