Campanha de filiação partidária para mulheres ganha reforço em Pernambuco

Campanha de filiação partidária para mulheres ganha reforço em Pernambuco
thumbnail_1380577465.jpg

thumbnail_1380577465.jpg

"O nosso propósito é alcançar um aumento de 20% de mulheres filiadas aos partidos políticos de todo o Brasil até o próximo dia 5 de outubro", disse Luciana.

resize_1380577465.jpg

Com apenas uma semana do prazo final de filiação partidária para candidaturas nas eleições de 2014, próximo sábado (05/10), a deputada federal Luciana Santos reuniu integrantes de movimentos sociais e lideranças políticas na manhã desta segunda-feira (30), no Teatro Tabocas do Centro de Convenções, em Olinda, para reforçar a campanha “Mulher, Tome Partido. Filie-se!“ – uma iniciativa das Procuradorias da Mulher do Congresso Nacional e da bancada feminina da Câmara dos Deputados. Estiveram presentes no evento a secretária estadual da Mulher, Cristina Buarque, as deputadas estaduais Raquel Lyra e Teresa Leitão, a vereadora do Recife Isabella de Roldão, a presidente da União de Vereadoras Mulheres (UVP) Nara Leandro, entre representantes de partidos, secretárias e prefeitas de municípios de Pernambuco.  
 
“O nosso propósito é alcançar um aumento de 20% de mulheres filiadas aos partidos políticos de todo o Brasil até o próximo dia 5 de outubro. Por isso que essa campanha é suprapartidária. Une as mulheres de todos os partidos e legendas, independente dos posicionamentos ideológicos. Já no dia 30 de julho, que são os prazos das convenções, esperamos um aumento em 30% nas filiações de mulheres. Nós precisamos, e muito, aumentar a representação feminina nas assembleias legislativas, no Executivo e no Congresso Nacional“, explicou Luciana Santos. 
""

A parlamentar justificou também em números a insuficiência atual de mulheres com participação na política brasileira: “Nós temos uma sub-representação nas instâncias porque somos pouco mais de 9% das prefeitas de nosso País. Somos 8,7% da representação feminina do Congresso Nacional. No Senado temos uma posição melhor, com mais de 12%. Nós precisamos ter decisão política, porque já somos na vida real quem ajuda e quem constrói a nação brasileira. Nós somos mais de 40% da população brasileira economicamente ativa, somos a maioria nas academias e, portanto, precisamos decidir os rumos desse País pela força real que construímos na sociedade“.

 
A deputada lembrou, ainda, que o Brasil está passando por um momento muito rico na formação política das mulheres, já que pela primeira vez na história o País tem uma mulher presidenta, que é Dilma Rousseff. “Nossa força política tem crescido muito na América Latina e isso simboliza e estimula a participação feminina na política. Mas para chegarmos até isso tivemos muitas gerações de mulheres que deram a sua inteligência e até, muitas vezes, suas vidas para que tivéssemos a democracia e o desenvolvimento de hoje“, ressaltou Luciana Santos.
 
No discurso, a parlamentar destacou, também, que além das políticas públicas que já são decisivas e necessárias para poder fazer valer o princípio de igualdade, é necessário acabar com a cultura machista. “Esses são desafios permanentes de todas as mulheres que ocupam o espaço público, não é só na política. Elas precisam quebrar, sempre, muitas amarras sociais para serem respeitadas, ouvidas, e esse é o desafio que está posto para a gente. Para podermos mudar o rumo desse País precisamos aumentar a representação feminina na política“, concluiu. 
 
Encerrando o diálogo, Luciana reforçou que há um projeto de reforma política no Congresso Nacional, de iniciativa popular, que incentiva a paridade entre mulheres e homens nas esferas de poder legislativo e executivo. “Se depender da nossa vontade, nós não temos dúvidas que vamos elevar o nível da consciência política para que haja um País mais democrático com a participação da mulher no seu lugar, no seu espaço real ocupado na sociedade!“, garantiu a deputada federal, que foi bastante aplaudida pela plateia.

Do Recife, 
Andréa Almeida