Cultura pernambucana ganha mais um espaço para a construção democrática de suas políticas públicas

Cultura pernambucana ganha mais um espaço para a construção democrática de suas políticas públicas
Cultura pernambucana ganha mais um espaço para a construção democrática de suas políticas públicas

Construído democraticamente, com a participação efetiva dos trabalhadores da cultura pernambucana, o novo colegiado do Conselho de Política Cultural de Pernambuco tomou posse na última sexta-feira (03.06) no Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco (Recife). A solenidade, que  contou com a presença da deputada federal Luciana Santos, foi realizada pelo governador Paulo Câmara, e também mediada pelo secretário de Cultura do estado, Marcelino Granja, o responsável por aglutinar as forças necessárias para reformulação do colegiado.

Composto por 40 membros, sendo 20 representantes da sociedade civil e 20 do Poder Público, o grupo terá o papel de ampliar a participação popular na formulação de diretrizes para o segmento cultural. “Não é a toa que a posse desse conselho é uma importante conquista dos movimentos culturais, artistas e produtores pernambucanos. Trata-se de uma demanda antiga da sociedade essa reformulação, que traz – para o centro do debate da construção das políticas culturais – os trabalhadores da cultura de forma institucionalizada, já que antes o conselho não era paritário”, comentou a deputada federal e presidenta nacional do PCdoB, Luciana Santos.

Os representantes da sociedade civil foram escolhidos a partir de um processo eletivo participativo e democrático. Para o secretário de Cultura de Pernambuco e dirigente nacional do PCdoB, “é um momento histórico conquistado por todos os fazedores de cultura do nosso Estado”, disse Marcelino. ”As manifestações culturais são feitas pela população e nós temos que oferecer condições para que ela se desenvolva”, finalizou Granja, assegurando que Pernambuco, nos últimos anos, avançou bastante na formatação de políticas culturais.

Com a criação do “Conselhão” (como vem sendo chamado o novo Conselho de Política Cultural), já somam-se 3 colegiados que contam com a participação da sociedade civil. Atualmente, Pernambuco também conta com a atuação do Conselho de Preservação do Patrimônio Cultural e do Conselho Consultivo do Audiovisual. “Se tivermos os três conselhos funcionando bem, dialogando e ouvindo a população, vamos seguir no caminho de avançar e fortalecer a cultura pernambucana”, pontuou o governador Paulo Câmara em sua fala na solenidade.

Do Recife,
João Paulo Seixas

Foto: Roberto Pereira / SEI