Filhos do Mestre Salu homenageiam patriarca e planejam construir museu na Casa da Rabeca

Filhos do Mestre Salu homenageiam patriarca e planejam construir museu na Casa da Rabeca

O rabequeiro, que completaria 70 anos nesta quinta (12), ganha exposição e shows em Olinda

Num dia 1º de janeiro distante, depois do churrasco de bode do réveillon, Mestre Salu mandou as filhas venderem o leite produzido no sítio da família, como faziam todos os dias, pelas ruas do bairro, em Olinda. Após várias negativas da vizinhança que ainda comemorava a passagem de ano, as meninas voltaram para casa sem nem um tostão no bolso. “Faz mal não. Vão buscar açúcar, que a gente faz um doce”, disse Salu.

A memória é de Imaculada Salustiano, filha de Manuel Salu, e remete à versão do rabequeiro desconhecida pelo público. Eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco em 2007, expoente de folguedos populares como ciranda, cavalo marinho e maracatu, Salu foi também o pai de 15 filhos (de nove esposas diferentes). “É esse Salu que nós queremos homenagear”, explica Imaculada. Se vivo, o patriarca completaria 70 anos nesta quinta-feira (12), o primeiro de três dias de homenagens na Casa da Rabeca, em Olinda, Região Metropolitana do Recife. Além de exposição e shows, a família planeja a construção de museu no local – o mesmo onde, há anos, era produzido o leite vendido pelas meninas naquele réveillon.

Até o sábado (14), circuito de exposição e shows movimenta o local, que é tradicionalmente fechado nos meses de agosto e transformado em palco de festas nos meses de outubro, como mandavam as superstições de Salu – endossadas pelas datas do nascimento, em outubro, e morte (31 de agosto de 2008) do artista popular. Rabecas, mantos, golas de maracatu, retratos e adereços do rabequeiro ficam expostos na quinta (12) e na sexta (13), das 9h às 17h. No sábado (14), Santanna, Petrúcio Amorim, Cavalo Marinho Boi Matuto do Mestre Salustiano de Olinda e o grupo Família Salustiano e a Rabeca Encantada, formado pelos filhos e netos, se revezam no palco a partir das 20h. “Tudo aquilo de que ele mais gostava está na programação”, reforça Pedro Salustiano, que segue o caminho artístico do pai.

“Nossa ideia é organizar exposição permanente do acervo do Mestre Salu, em museu construído dentro da Casa da Rabeca. Ainda estamos costurando essa proposta, buscando apoio. Mas, certamente, funcionará aqui”, declarou Pedro, sentado ao lado do filho de três anos que, assim como o pai e os tios, já conhece os passos do cavalo marinho. “Salu vive em todos nós”, completou, repetindo preceito básico da arte popular: a tradição familiar. A entrada para todos os eventos, seguindo essa cartilha, é gratuita.

SERVIÇO

Celebrações dos 70 anos do Mestre Salustiano
Quando: Exposição nos dias 12 e 13 de novembro, das 9h às 17h; Festa com Petrúcio Amorim; Santanna, o Cantador; Cavalo Marinho Boi Matuto do Mestre Salustiano de Olinda; e o grupo Família Salustiano e a Rabeca Encantada no dia 14 de novembro, às 20h.
Onde: Casa da Rabeca do Brasil (Rua Curupira, 340, Cidade Tabajara – Olinda/PE)
Quanto: Entrada gratuita
Informações: 3371-8197

Fonte: Diário de Pernambuco

Foto: Alexandre Gondim