Luciana orienta voto do PCdoB pela investigação de Temer

Luciana orienta voto do PCdoB pela investigação de Temer

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ), aprovou na quarta-feira (18), parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB/MG), recomendando que a Câmara não autorize o Supremo Tribunal Federal a processar o presidente da República, Michel Temer, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral), com base na denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República. Temer é acusado pelos crimes de obstrução à Justiça e organização criminosa. Os ministros, por organização criminosa.

O placar foi de 39 votos a favor, 26 contra e uma abstenção. A deputada Luciana Santos, presidenta do PCdoB, participou da sessão e como vice-líder encaminhou o voto do partido. Ela fez um balanço dos desmontes patrocinados por Temer desde o golpe. Para Luciana “é inacreditável e trágico que um ano após o afastamento de uma presidente eleita, afastada por uma pedalada fiscal, a gente veja Temer patrocinando o desmonte do Estado brasileiro, e beneficiando setores abastados para se livrar das denúncias”.

Luciana lembrou ainda de medidas criminosas como a Emenda 95 que congela por 20 anos os investimentos essenciais para a vida do povo brasileiro como a assistência social que teve corte de 90%, como as cisternas para o Nordeste que são obras emergenciais para convivência com a seca, que teve corte de 92%. “É criminoso, quando essa mesma emenda, deixa intocável os gastos financeiros e se garante leniência dos bancos e mercado financeiro, mas se abandona o estratégico setor da construção civil”, ressaltou.

“É criminoso quando se faz o desmonte do Estado brasileiro, do BNDES, passando pelas áreas estratégicas da nossa economia privatizando ou desnacionalizando a economia nacional; agindo como verdadeiro dono de um comércio liquidando as nossas riquezas e áreas estratégicas como a RENCA, o sistema elétrico brasileiro e como o Pré-sal. A lógica é essa: Cortar e vender!”, criticou a deputada.

Ainda justificando o voto do PCdoB, Luciana apontou a conduta do Governo Temer que toma medidas que prejudicam o país, no intuito de se livrar das investigações que lhe cabem. “Para se livrar da denúncia, Temer liberou 10 milhões de dívida publica de donos de terras do país; agora através de MP passa por cima da legislação que combate o trabalho escravo no Brasil, rasgando todos aqueles compromissos internacionais que o Brasil assinou. É um absurdo”, completou.

A denúncia ainda deve ser votada no plenário, provavelmente na próxima quarta-feira (25). Para autorizar o STF a processar o presidente da República, são necessários os votos de 342 deputados. Assim como na primeira denúncia, aqueles que votarem “sim” ao relatório da CCJ estarão optando por liberar Temer da investigação pelo Supremo Tribunal Federal (STF); enquanto os que votarem “não” estarão indicando a continuidade da ação na Corte.

PCdoB, PSol, PT, PSB, Rede, Pode, PDT, PPS, PHS votaram pela continuidade da denúncia. Já PMDB, PP, PSD, PR, DEM, PRB, PTB, SD, PSC e Pros orientaram as bancadas a votar a favor de Temer; e o PSDB e o PV liberaram o voto dos deputados.

De Brasília;
Ana Cristina Santos

Foto: Richard Silva/PCdoB na Câmara